Abastecer veículo comum com gasolina premium é desperdício de dinheiro, diz pesquisa

Associação Automobilística Americana recomenda que motoristas usem o combustível determinado pelo fabricante do carro.

Blog da Redação
Compartilhe esta publicação:
Gasolina
Gasolina

Gasolina premium não é recomendada e não gera benefícios aos carros comuns (iStock)

Acessibilidade


Não há nenhum benefício em gastar dinheiro com gasolina “premium” em veículos comuns. No ano passado, mais de 16 milhões de motoristas norte-americanos desperdiçaram mais de US$ 2,1 bilhões de dólares fazendo isso. Os consumidores que abastecem com esse combustível pagam em torno de US$ 0,50 a mais por galão (3,78 litro) do que o necessário.

A Associação Automobilística Americana (AAA) lançou recentemente uma nova pesquisa sobre o uso desse tipo de combustível. “Os motoristas veem o “premium” no nome e logo assumem que o combustível é melhor para o veículo”, afirmou John Nielsen, diretor administrativo de engenharia automotiva e reparação para a AAA, em um comunicado. “A AAA adverte os motoristas que a gasolina premium tem mais octanagem, e não mais qualidade, e recomenda aos motoristas que sigam as recomendações do manual do proprietário sobre o uso da gasolina.”

LEIA MAIS: Bentley oferece serviço de entrega de combustível

O relatório também incluiu os resultados de uma apuração recente com os motoristas dos EUA, que constatou que 70% dos consumidores possuem veículos que devem ser abastecidos com gasolina comum, enquanto apenas 16% possuem carros que devem ser abastecidos com a gasolina premium. Os outros 10% precisam abastecer com gasolina aditivada e os 4% restantes utilizam fontes alternativas de energia.

Durante os testes para a pesquisa, conduzidos em parceria com a Automobile Club of Southern California’s Automotive Research Center, a AAA analisou a octanagem 87 (gasolina comum) e a octanagem 93 (gasolina premium) em veículos designados para utilizarem o combustível comum. Os resultados indicaram que a prática de usar a gasolina premium desnecessariamente, além de não gerar economia, não gera melhores resultados na potência do automóvel e não diminui a emissão de gases.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

VEJA TAMBÉM: Como a Toyota está apostando na sustentabilidade para mudar o mercado (e crescer)

A AAA observou que a gasolina premium é especificamente formulada para ser compatível com tipos específicos de projetos de motores, e a maioria do veículos não tira vantagem com o aumento de octanagem no combustível. A Associação Automobilística Americana recomenda que os motoristas usem a gasolina determinada pelo fabricante do seu carro, que seja a melhor para a limpeza do motor e desempenho do veículo.

Compartilhe esta publicação: