11 mulheres self-made mais ricas dos Estados Unidos

De Rihanna a Dolly Parton: elas saíram do nada e, hoje, acumulam fortunas que podem chegar a bilhões de dólares .

Kerry A. Dolan, Jen Wang e Chase Peterson-Withorn
Compartilhe esta publicação:
Viktor Miller
Viktor Miller

De Rihanna a Dolly Parton: elas saíram do nada e, hoje, acumulam fortunas que podem chegar a bilhões de dólares

Acessibilidade


Com o mercado de capitais em alta e uma enxurrada de IPOs, a fortuna das mulheres self-made mais ricas do mundo cresceu 31% na comparação anual, para um total de US$ 118 bilhões, segundo estimativas da Forbes.

Pelo quarto ano consecutivo, Diane Hendricks, cofundadora de uma empresa de suprimentos para construção civil, aparece no topo da lista. Sua fortuna aumentou para cerca de US$ 11 bilhões, o que fez dela a primeira mulher self-made norte-americana com patrimônio líquido maior que US$ 10 bilhões.

A cantora Rihanna, classificada em 16º lugar, agora é oficialmente uma bilionária, tornando-se uma das 26 mulheres a registrar fortunas acima dos 10 dígitos. Outros novos nomes neste ano são Anne Wojcicki, da 23andMe, e Whitney Wolfe Herd, fundadora do app de relacionamentos Bumble – ambas abriram capital neste ano -, além da estrela dos realitys shows e empresária dos cosméticos Kim Kardashian West, cuja fortuna aumentou com o crescimento da Skims.

Quinze novos rostos se juntaram ao grupo este ano. De longe, a novata mais popular é Dolly Parton, que reforçou seu catálogo de músicas com um investimento inteligente no parque temático Dollywood em seu estado natal, o Tennessee. A supermodelo Cindy Crawford estreou devido ao sucesso de sua linha de cosméticos, a Meaningful Beauty.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram: https://t.me/forbesmoney

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Dois terços das 100 mulheres fundaram ou cofundaram uma empresa em setores que variam de energia solar à educação online. Vinte e seis são CEOs, incluindo a pioneira em registros de saúde Judy Faulkner, da Epic Systems, e Safra Catz, da gigante de software Oracle.

Essas mulheres têm idades entre 23 anos, como Kylie Jenner, e 95 anos, como a empreendedora Alice Schwartz, e vivem em 22 estados diferentes nos Estados Unidos, embora quase metade – 46 – resida na Califórnia. As fortunas foram calculadas usando os preços das ações de 2 de julho de 2021 – antes do acordo da Blackstone para comprar a produtora Hello Sunshine, de Renee Witherspoon, ser anunciado, razão pela qual a atriz não aparece na lista. O patrimônio líquido pode mudar dentro de dias ou semanas após a data de medição.

Conheça as 11 mulheres self-made mais ricas dos Estados Unidos:

  • 1º Diane Hendricks

    Fortuna: US$ 11,1 bilhões
    Fonte: construção civil

    Diane Hendricks preside a ABC Supply, um dos maiores atacadistas de telhados, revestimentos e janelas dos Estados Unidos. Ela foi cofundadora da empresa com seu falecido marido, Ken, em 1982, e coordena a companhia desde o seu falecimento em 2007. Diane fez as duas maiores aquisições da história da ABC, comprando a rival Bradco em 2010 e a distribuidora de materiais de construção L&W Supply em 2016. A empresa tem cerca de 800 filiais e registrou receita de US$ 12 bilhões em 2020.

    GettyImages
  • 2º Judy Faulkner

    Fortuna:US$ 7 bilhões
    Fonte: softwares para a indústria da saúde

    Judy Faulkner fundou a Epic, provedora de softwares para a indústria da saúde, em 1979. Ela é programadora e CEO da companhia, que teve US$ 3,3 bilhões em vendas no ano passado. A Epic oferece suporte aos registros médicos de mais de 250 milhões de pacientes e é usada pelos principais centros hospitalares nos Estados Unidos, como Johns Hopkins e Mayo Clinic. A empresa nunca abriu capital ou fez uma aquisição e desenvolve todo o seu software internamente

    GettyImages
  • 3º Meg Whitman

    Fortuna:US$ 6,1 bilhões
    Fonte: e-commerce

    Meg Whitman ficou conhecida por levar o eBay de US$ 5,7 milhões para US$ 8 bilhões em vendas durante sua gestão como CEO entre 1998 e 2008. Ela também foi presidente da Hewlett-Packard de 2011 a 2015, onde supervisionou as divisões HP Inc. e Hewlett Packard Enterprise. Deixou o cargo de principal executiva da HPE em fevereiro de 2018. Hoje, ela faz parte do conselho da Procter & Gamble e do Dropbox e é CEO da Quibi, plataforma de vídeo lançada em abril de 2020.

    GettyImages
  • 4º Judy Love

    Fortuna:US$ 5,2 bilhões
    Fonte: varejo e combustíveis

    Judy Love e seu marido Tom abriram seu primeiro posto de gasolina em Oklahoma em 1964, usando um empréstimo de US$ 5 mil dos pais de Tom. Hoje, a Love’s Travel Stops & Country Stores tem mais de 550 lojas em 41 estados e receita estimada de US$ 20 bilhões. Atualmente, é executiva da Love’s e chairman do Love Family Fund.

    GettyImages
  • 5º Marian Ilitch

    Fortuna:US$ 4,4 bilhões
    Fonte: rede de restaurantes

    Marian Ilitch fundou a Little Caesars Pizza em 1959. A Sra. I, como é conhecida, agora é dona da rede de pizzarias, que fatura mais de US$ 4 bilhões anualmente. Ela também é proprietária do Detroit Red Wings e do MotorCity Casino Hotel. Marian está ajudando a construir um distrito de esportes e entretenimento de US$ 1,4 bilhão em Detroit, que inclui uma nova sede com janelas em formato de pizza.

    GettyImages
  • 6º Johnelle Hunt (empatado)

    Fortuna:US$ 4,2 bilhões
    Fonte: transportes

    Johnelle Hunt vendeu sua casa e fez empréstimos para iniciar uma operação de embalagem de casca de arroz em 1961. Oito anos depois, ao lado do marido, comprou cinco caminhões e sete reboques para lançar o JB Hunt Transport Services. O negócio teve seu capital aberto em 1983 e agora é uma das maiores empresas de transporte do país, com vendas de US$ 9,64 bilhões. Johnelle, que deixou seu cargo executivo na empresa em 2008, continua sendo o maior acionista individual, com uma participação de 17%.

    GettyImages
  • 6º Thai Lee (empatado)

    Fortuna:US$ 4,1 bilhões
    Fonte: IT

    Thai Lee é CEO da fornecedora de TI SHI International, que possui US$ 11,1 bilhões em vendas anuais e tem mais de 20 mil clientes, incluindo as gigantes Boeing e AT&T. Nascida em Bangcoc, Thai cresceu na Coreia do Sul e se mudou para os Estados Unidos para estudar no ensino médio. Com um MBA em Harvard, ela teve passagens pela P&G e American Express antes da SHI. Thai e seu agora ex-marido pagaram menos de US$ 1 milhão por uma revendedora de software em 1989.

    GettyImages
  • 8º Lynda Resnick

    Fortuna:US$ 4 bilhões
    Fonte: agronegócio

    Lynda é a especialista em marketing por trás da Wonderful Co., um conglomerado de alimentos de quase US$ 5 bilhões em vendas que ela e seu marido, Stewart, possuem. As marcas da companhia incluem Pom Wonderful, Mandarin Halos, Wonderful Pistachios e Fiji Water.

    GettyImages
  • 9º Gail Miller
    Fortuna:US$ 3,2 bilhões
    Fonte: indústria automotiva

    Gail Miller e seu marido já falecido Larry transformaram uma única concessionária Toyota em uma operação que registrou US$ 5,3 bilhões em vendas no ano passado com 64 concessionárias. Gail atua como proprietária e presidente do conselho da Larry H. Miller Management Corporation. Os Millers compraram o time Utah Jazz da NBA, em 1986, por US$ 22 milhões. E, em 28 de outubro de 2020, a família concordou em vendê-lo por US$ 1,6 bilhão para Ryan Smith.

    GettyImages
  • 10º Doris Fisher (empatado)

    Fortuna:US$ 2,8 bilhões
    Fonte: varejo de moda

    Doris Fisher fundou a loja de roupas Gap, em 1969, com seu marido já falecido Don, depois que o casal lutou para encontrar jeans que servissem. Eles levantaram US$ 63 mil para abrir sua primeira loja, que vendia jeans e CDs, em São Francisco. Doris Fisher foi a responsável pela área de vendas da empresa desde o dia em que ela abriu até 2003 e fez parte do conselho até 2009. Graduada em economia por Stanford em 1953, foi a cofundadora da Fundação KIPP, que apóia escolas públicas autônomas, doando US$ 15 milhões.

    GettyImages
  • 10º Alice Schwartz (empatado)

    Fortuna:US$ 2,9 bilhões
    Fonte: produtos farmacêuticos

    Com algumas economias, Alice Schwartz e seu marido David lançaram os Laboratórios Bio-Rad em uma cabana, em Berkeley Quonset, nos Estados Unidos, em 1952. Os primeiros produtos incluíam resinas de troca iônica, substâncias usadas para facilitar a fabricação de produtos farmacêuticos e pesquisas de laboratório. A Bio-Rad, que realizou IPO em 1966, vende hoje 10 mil produtos e teve receita de US$ 2,3 bilhões em 2019. A companhia foi listada na American Stock Exchange em 1980 e na Bolsa de Valores de Nova York em 2008. Alice, que ficou viúva em 2012, continua no conselho da Bio-Rad e possui uma participação de 14%.

1º Diane Hendricks

Fortuna: US$ 11,1 bilhões
Fonte: construção civil

Diane Hendricks preside a ABC Supply, um dos maiores atacadistas de telhados, revestimentos e janelas dos Estados Unidos. Ela foi cofundadora da empresa com seu falecido marido, Ken, em 1982, e coordena a companhia desde o seu falecimento em 2007. Diane fez as duas maiores aquisições da história da ABC, comprando a rival Bradco em 2010 e a distribuidora de materiais de construção L&W Supply em 2016. A empresa tem cerca de 800 filiais e registrou receita de US$ 12 bilhões em 2020.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: