Crédito imobiliário desacelera em novembro com Selic em alta

O dado mostra que os empréstimos para compra da casa própria seguiram em expansão, mas num ritmo bastante inferior ao dos primeiros meses do ano.

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O crédito imobiliário com recursos da poupança (SBPE) no Brasil somou R$17,5 bilhões  em novembro, o que representou um aumento de 26,8% em relação a igual mês de 2020, informou nesta terça-feira a representante das financiadoras do setor, Abecip.

O dado mostra que os empréstimos para compra da casa própria seguiram em expansão, mas num ritmo bastante inferior ao dos primeiros meses do ano, uma vez que a campanha agressiva do Banco Central para tentar esfriar a inflação já levou a taxa básica de juros em 2021 de 2% para 9,25% ao ano.

No acumulado dos primeiros 11 meses deste ano, as concessões de empréstimos imobiliários pelo SBPE atingiram R$189,4 bilhões, informou a Abecip, alta de 77,8% em relação a igual período do ano passado.

A combinação de juros em elevação e forte alta dos preços de insumos tem esfriado gradativamente a atividade imobiliária, uma das que mais cresceram no Brasil durante a pandemia, já que o BC no ano passado havia cortado a Selic como parte dos esforços para fazer a economia reagir aos impactos das medidas de isolamento social que levaram o país à recessão.

Em março, o crédito imobiliário pelo SBPE tinha atingido R$18,35 bilhões, um salto de 172,7% ante mesmo mês do ano passado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Diante do novo cenário, construtoras e incorporadoras já começam a refazer suas projeções. Na véspera, a Tecnisa cortou sua previsão de lançamentos do biênio 2020-21 para R$1,1 bilhão , ante projeção anterior de R$1,2 bilhão a R$1,5 bilhão.

Compartilhe esta publicação: