Ibovespa encerra semana em alta apoiada por bancos e Petrobras

Essa foi a melhor semana do índice desde março de 2021.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa fechou hoje (14) em alta de 1,33%, a 106.927 pontos, acumulando ganhos de 4,1% nos últimos cinco pregões. Essa foi a melhor semana do índice desde março de 2021. Os ganhos foram apoiados pelas petrolíferas e os bancos, enquanto as siderúrgicas andaram na contramão, ainda impactadas pelas chuvas em Minas Gerais e por mais uma queda do minério de ferro na China.

Os destaques positivos da sessão incluíram os papéis do Banco Inter (BIDI11), Br Malls (BRML3) e Banco Pan (BPAN4), que avançaram 7,92%, 7,01% e 6,13%, respectivamente. A Br Malls registrou alta após rejeitar proposta de fusão enviada pela rival Aliansce Sona, afirmando que o plano “subavalia, consideravelmente, o valor econômico justo” da empresa.

Segundo divulgou hoje o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), as vendas no varejo no Brasil expandiram 0,6% em novembro na comparação com o mês anterior, impulsionadas pelos números de supermercados, ainda que com impacto mais fraco da Black Friday. A expectativa de analistas em pesquisa da Reuters era de recuo de 0,2%.

O dado vem um dia após o volume de serviços também superar as projeções do mercado, na sequência de uma série de resultados fracos de atividade econômica.

“Semana que vem vamos ter dados muito importantes, como a atividade industrial e o PIB da China, e o IBC-Br de novembro, que é uma prévia do PIB daqui”, comenta Fernando Bresciani, analista de investimentos do Andbank Brasil. “Na segunda-feira, ainda temos feriado nos Estados Unidos.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em Wall Street, os índices também encerraram o dia com desempenhos mistos. O Dow Jones caiu 0,56%, a 35.911 pontos; o S&P 500 subiu 0,08%, a 4.662 pontos; e o Nasdaq ganhou 0,59%, a 14.893 pontos.

As ações de peso do setor financeiro representaram a maior pressão negativa na sessão, após o JPMorgan ditar um fraco início para a temporada de resultados corporativos do quarto trimestre. O banco relatou desempenho mais fraco em seu braço de operações, mesmo tendo superado expectativas para o lucro durante o período.

O JPMorgan também alertou que o aumento da inflação, a ameaça iminente da variante Ômicron, e a volta das receitas comerciais a níveis normais devem desafiar o crescimento do setor bancário nos próximos meses.

“O sentimento está bastante azedo. Embora hoje se inicie oficialmente o período de divulgação de resultados do quarto trimestre, parece que a inflação continua sendo a principal preocupação”, disse Sam Stovall, estrategista-chefe de investimentos da CFRA Research.

As bolsas de Nova York não irão operar na segunda-feira (17) por conta do feriado de Martin Luther King.

O dólar fechou em queda de 0,27%, negociado a R$ 5,5129 na venda, acumulando desvalorização de 2,12% na semana. As perdas recentes da moeda refletem a percepção de investidores de que a postura mais dura na conduta da política monetária do banco central dos Estados Unidos já foi precificada. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: