Ibovespa sobe com bancos e Petrobras e caminha para alta firme na semana

Bancos e Petrobras davam o principal suporte à sessão, enquanto Vale e siderúrgicas estavam do lado oposto.

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Getty Images

Acessibilidade


O principal índice da bolsa brasileira passou a subir hoje (14), apesar do desempenho sem direção comum dos mercados em Wall Street, que reagem ao início da temporada de resultados trimestrais e à continuação da liquidação das ações de tecnologia.

Às 11:48, o Ibovespa avançava 0,43%, a 105.981,30 pontos, o que representaria alta de 3,2% na semana

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Bancos e Petrobras davam o principal suporte à sessão, enquanto Vale e siderúrgicas estavam do lado oposto. O Goldman Sachs elevou as recomendações de Santander Brasil e Itaúsa a neutra e compra, respectivamente, e tem o Banco do Brasil e o Bradesco como seus preferidos no setor. Além disso, UBS projetou em relatório a divulgação de números operacionais positivos pelos grandes bancos do país para o quarto trimestre.

Magazine Luiza (MGLU3) subia 2,1% e Americanas (AMER3) avançava 0,2%, enquanto Via (VIIA3) cedia 0,8%. As vendas no varejo no Brasil expandiram 0,6% em novembro na comparação com o mês anterior, impulsionadas pelos números de supermercados, ainda que com impacto mais fraco da Black Friday. A expectativa de analistas em pesquisa da Reuters era de recuo de 0,2%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O dado vem um dia após o volume de serviços também superar as projeções do mercado, na sequência de uma série de resultados fracos de atividade econômica recentemente.

Em Nova York, os principais índices de ações operavam sem direção clara, com o Nasdaq Composite subindo e o S&P 500 em queda, na esteira da apresentação de resultados mistos por bancos incluindo JPMorgan e Wells Fargo. Papéis de empresas tecnologia estendiam queda da véspera.

Além disso, o mercado digeria o desfecho da reunião entre representantes de auditores fiscais e o Ministro da Economia, Paulo Guedes, ontem (13). Membros da categoria deixaram a reunião frustrados com a não apresentação de uma solução sobre o pagamento do bônus de eficiência reivindicado, e falando em acirramento do movimento de protesto.

Compartilhe esta publicação: