Com professores internacionais, Mackenzie abre inscrições para cursos de formação executiva

Programa de educação executiva do Mackenzie é voltado para quem busca de evolução na carreira ou recolocação profissional

BrandVoice Mackenzie
Compartilhe esta publicação:
Com professores internacionais, Mackenzie abre inscrições para cursos de formação executiva
Divulgação Mackenzie

Programa de educação executiva é voltado para quem busca de evolução na carreira ou recolocação profissional

Acessibilidade


O mercado de trabalho não passou ileso às transformações aceleradas pela pandemia, delegando aos profissionais a necessidade cada vez maior de atualização e do desenvolvimento de novas habilidades em todas as áreas de conhecimento. A demanda, no entanto, veio acompanhada também de soluções para o aperfeiçoamento profissional, como o programa de formação executiva da Universidade Presbiteriana Mackenzie, voltado para quem está em busca de evolução na carreira ou até mesmo de recolocação no mercado de trabalho.

Criado em 2020, o programa de formação executiva do Mackenzie foi desenvolvido para atender a alta demanda por cursos que capacitem profissionais para os desafios do dia a dia no trabalho. “Oferecemos um ensino prático, voltado para as necessidades reais dos profissionais no mercado”, explica Prof. Lourenço de Miranda Freire Neto, coordenador de educação continuada do Mackenzie.

O programa, que está com inscrições abertas para turmas de agosto, foi desenhado para diferentes necessidades e perfis de alunos. Os cursos de atualização e aperfeiçoamento, por exemplo, são oferecidos em curta e média duração, nas opções presencial ou online ao vivo, além da possibilidade de aulas com professores estrangeiros na modalidade Exchanging Hemispheres.

Mas a educação executiva do Mackenzie pode ser ainda realizada em longa duração através das modalidades MBA (Master in Business Administration), MBI (Master of Business Innovation) e LLM (Latin Legum Master), com 432 horas-aula e nas opções de aulas presenciais ou online ao vivo.

A formação executiva do Mackenzie é oferecida nas seguintes áreas de expertise: Arquitetura e Design; Direito; Comunicação, Marketing e Vendas; Saúde e Educação; Estratégia, Negócios e Liderança; e Tecnologia e Inovação.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Online, ao vivo e internacional

O modelo online ao vivo, em que o aluno acompanha as aulas ministradas em tempo real, ganhou força durante a pandemia, permitindo que profissionais de outras partes do país tivessem acesso à formação oferecida pelo Mackenzie.

“A formação executiva online e ao vivo é um modelo que democratiza o acesso a ensino de qualidade”, avalia Freire Neto, explicando que nos cursos do Exchanging Hemispheres, o aluno tem acesso a professores que só estariam disponíveis por meio de uma viagem ao exterior. “Hoje, ele [o aluno] tem a oportunidade de, aqui, no Brasil, fazer o que chamamos de internacionalização, sem sair de casa.”

Com duração entre duas e quatro semanas, os cursos do Exchanging Hemispheres trazem docentes de universidades ao redor do mundo a fim de preparar os alunos de diferentes áreas de atuação para os desafios e tendências globais. A ideia é capacitar profissionais com agilidade, promovendo a educação continuada no ambiente executivo, algo fundamental para quem deseja se manter relevante no mercado de trabalho.

No online ou presencial, os cursos reúnem ferramentas que privilegiam a interação e o consequente networking entre os alunos com salas adaptadas, debates e grupos de trabalho. “Nós trazemos o que há de melhor nos programas presenciais, que é a interação física, também para o ambiente virtual, possibilitando, portanto, que o aluno de qualquer parte do Brasil desfrute de uma educação de qualidade, seja ele onde estiver”, comenta o coordenador.

Mais informações e inscrições para os cursos de formação executiva do Mackenzie estão disponíveis pelo: mackenzie.br/educacaoexecutiva

*BrandVoice é de responsabilidade exclusiva dos autores e não reflete, necessariamente, a opinião da FORBES Brasil e de seus editores

Compartilhe esta publicação: