O que deseja a nova geração de trainees

GettyImages
Jovens que fazem parte de um programa de trainee estão em constante busca por conhecimento pessoal e de mundo

Resumo da matéria

  • Pesquisa desenvolvida pela LHH, consultoria global, mostra que 26% dos jovens consideram o desenho do programa de trainee ao candidatar-se ao processo e 17% levam em conta a reputação da empresa
  • Mais da metade dos jovens consultados apontam que a falta de crescimento profissional os levaria a procurar outra oportunidade no mercado
  • Vinte e nove por cento dos entrevistados apontam que o desafio é o que os mantêm em uma empresa
  • Poder atuar em diferentes áreas se mostrou o ponto principal para desenvolvimento segundo 35% dos jovens. Outros 64% dos entrevistados implementariam a iniciativa em programas que não a oferecem

Os programas de trainees representam uma oportunidade para ingressar no mercado de trabalho e são muito disputados por jovens recém-formados ou na fase final de graduação. O processo tem como objetivo investir em um banco de talentos e capacitar novos profissionais para cargos importantes nas organizações.

VEJA TAMBÉM: A intensa vida do jovem presidente da Dasa

No contexto das grandes corporações e do mercado de trabalho repleto de new faces, a LHH (Lee Hecht Harrison), empresa de consultoria global, desenvolveu, durante o ano passado, a pesquisa Trainees & Jovens Talentos. O objetivo era entender a visão desses jovens profissionais em relação aos programas de treinamento, assim como levantar pontos de atenção para as organizações se manterem competitivas ao investir em futuros funcionários.

Segundo o levantamento, os principais motivos para um jovem talento escolher participar do processo de trainee de um empresa são o desenho do programa de treinamento (26%) e a reputação da companhia (17%). Para Maiti Junqueira, gerente de desenvolvimento de talentos na LHH e responsável pela pesquisa, o resultado “demonstra que o jovem também está mais seletivo e atento ao que a empresa poderá proporcionar para a carreira dele em médio e longo prazos”.

A questão da necessidade de ser desafiado é outro ponto bastante frisado pelos jovens. Quando perguntados sobre o que os mantêm na empresa atual, qual o principal motivo para procurar outro trabalho e o que é primordial para o desenvolvimento como trainee, as respostas são: desafios constantes (29%), falta de desafios (18%) e projetos desafiadores (25%), respectivamente.

Sobre a busca por desafios, Maiti comenta: “Não adianta selecionar o talento e não treinar. Neste ponto, a questão do desafio fala muito alto porque eles procuram crescimento rápido – é um perfil de jovem mais voltado para trabalhar em colaboração, cooperação e projetos agregadores. São profissionais que querem entrar para fazer acontecer”. E completa: “Eles querem dominar as habilidades. São mobilizadores. Não acho que todos queiram desafios o tempo todo, mas quem procura um programa de treinamento quer aprender mais e sair da zona de conforto. E isso está diretamente ligado a fazer algo que agregue valor enquanto ser humano e que contribua com o mundo”. Ainda segundo a pesquisa, a falta de expectativa de crescimento profissional seria o principal motivo para procurar outra oportunidade de trabalho para 54% dos entrevistados.

E AINDA: Pare de comparar sua carreira com as de outras pessoas

Atrelada aos desafios está a curiosidade. O profissional que faz parte de um programa de treinamento está em constante busca por conhecimento pessoal e de mundo. “É como um resgate da curiosidade, de se propor a errar, testar. O programa trainee existe para oxigenar o que falta. Para ousar fazer perguntas que eles não fariam.”

O resultado da pesquisa também mostrou que os talentos da atual geração (os participantes têm entre 21 e 25 anos) consideram coaching e mentoring as duas principais ações mais importantes para o aprimoramento da carreira (45% e 42%, respectivamente). Para Maiti, “a mentoria é pedida muito junto ao coaching porque o jovem sabe que vai poder contar com alguém para desenvolver o que é crucial para ele junto às suas questões particulares”. E completa: “O jovem de hoje sai da universidade mais livre de formalidades por conta da transformação digital. Mas ele vai encontrar organizações formais e com regras pela frente. Logo, é preciso assimilar isso para poder mudar e viver transformações dentro dessas organizações. Os mentores podem ajudar a entender melhor o ambiente e ensinar a cultura da organização.”

Ter contato com a alta liderança é considerado primordial para 23% dos participantes da pesquisa. “Estar com líderes do alto escalão é poder conviver com as cabeças responsáveis pelas transformações e que podem falar melhor sobre o presente e o futuro do negócio”, explica a executiva.

Os participantes da pesquisa também elegeram o job rotation (rodízio de função) como essencial em um programa de trainee. Cerca de 35% dos entrevistados apontaram a possibilidade de trabalhar em diferentes áreas correlacionadas como primordial para o desenvolvimento e 64% deles disseram que implementariam a iniciativa em programas que não a oferecem. Para a gerente de desenvolvimento de talentos, “o que acontece é que os jovens chegam com muito gás, mas, às vezes, ao longo do ano, acabam virando mais um número na empresa ou entrando na rotina do líder. Um bom programa de trainee para o candidato e para a empresa é uma trilha de desenvolvimento de competências, job rotation, a realização de um projeto aplicado. Tudo isso combinado ao mentoring, coaching e outras iniciativas”.

LEIA MAIS: Por que você está procurando errado pela carreira dos sonhos

Veja, na galeria de imagens a seguir, 5 aspectos considerados primordiais em um programas de trainee e 5 que precisam ser melhorados no dia a dia da empresa segundo a visão de jovens talentos em desenvolvimento:

  • Pontos primordiais nos programas de trainees, para os jovens talentos

  • Job Rotation – 35%

  • Projeto desafiador – 25%

  • Contato com a alta liderança – 23%

  • Atividade na área de negócio onde está alocado – 13%

  • Treinamento em sala de aula ou virtual – 2%

  • O que poderia melhorar no dia a dia na empresa

  • Ter mais trabalhos alinhados com a estratégia – 57%

  • Ter mais líderes inspiradores – 54%

  • Ter mais autonomia – 29%

  • Ter mais clareza do propósito da empresa – 28%

  • Ter mais contato com o gestor – 25%

Pontos primordiais nos programas de trainees, para os jovens talentos

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).