O que esperar – e como se comportar – no novo mercado de trabalho

GettyImages/MOAimage
Profissionais devem estar preparados para um novo mercado de trabalho

Resumo:

  • As gerações anteriores conseguiam ter uma vida digna sem cursar, necessariamente, uma universidade, situação muito diferente dos dias atuais;
  • Hoje, no chamada mercado de agentes livres, as empresas não têm nenhuma lealdade a longo prazo;
  • Por outro lado, os profissionais também podem usar esse cenário em seu favor, para mudarem de emprego quando não se sentirem valorizados;
  • As pessoas terão que aprender a depender única e exclusivamente de si mesmas.

A economia e o mercado de trabalho atuais são radicalmente diferentes do que eram há algumas gerações. Antigamente, você podia se formar no ensino médio, conseguir um emprego decente, comprar uma casa, dois carros e criar seus filhos em um bairro agradável e suburbano. Trabalharia na mesma empresa durante a maior parte da vida adulta e se aposentaria sem problemas. Não poder – ou não querer – cursar o ensino superior era algo considerado aceitável, afinal, as profissões técnicas eram valorizadas.

LEIA MAIS: Como dominar o elevator pitch e se destacar nas próximas entrevistas

Tudo está diferente agora. Estamos em um mercado de trabalho de agentes livres, no qual as empresas não têm nenhuma lealdade a longo prazo. Se você agrega valor hoje, ótimo! Eles vão amá-lo. Se a empresa encontrar alguém que possa fazer o trabalho por menos dinheiro, você se deu mal. O mercado de trabalho tornou-se como o de esportes, onde os proprietários prontamente fazem acordos para trocar jogadores como se fossem mercadorias e não seres humanos. “Sem ressentimentos, são apenas negócios”, eles dizem. “Sim, você era uma estrela em nossa equipe, mas está ficando mais velho e precisamos trocá-lo por alguns jovens novatos antes que fique ainda mais velho. Desculpa!”

É muito provável que você tenha várias carreiras diferentes ao longo da vida e exerça várias funções em cada uma delas. Haverá momentos em que estará desempregado ou subempregado. Às vezes, suas habilidades principais farão parte da demanda. Outras, ninguém vai se importar com o que você tem a oferecer. Tecnologia, automação, robótica e inteligência artificial podem tornar seu trabalho obsoleto. A globalização forçará sua empresa a realocar seu trabalho para outro estado ou país para reduzir custos.

Há, atualmente, uma pressão incrível para que os jovens cursem o ensino superior. Sem isso, as oportunidades em bons empregos corporativos não existem. Infelizmente, há um estigma social associado àqueles que não frequentam a faculdade. O preço das mensalidades não são acessíveis a grande parte da população. Se você não tem uma família capaz de pagar por isso, precisará contrair um empréstimo significativo. A necessidade de pagar o financiamento estudantil pode forçá-lo a aceitar qualquer emprego, mesmo que não goste dele ou que não seja o que realmente deseja fazer com sua carreira. Você se torna prisioneiro do trabalho para quitar os empréstimos.

Como uma vantagem da economia de agentes livres, está o fato de que você pode se mudar. Não há necessidade de ser cegamente leal a uma empresa fria e sem rosto que não demonstra fidelidade a ninguém. Se deseja crescer nela, peça um aumento ou adicione responsabilidades. Não seja tímido. Se a gerência negar suas solicitações e você honestamente acreditar que é merecedor, comece a procurar um novo emprego em uma empresa que o deseje e respeite. Não há motivo para se sentir obrigado a permanecer em uma companhia se suas contribuições não são reconhecidas e a recompensa não é justa. Os representantes das gerações X e Z aprenderam essa lição difícil observando o que aconteceu com seus pais Baby-Boomers. Os membros da geração X e os mais jovem dos Boomers estão começando a perceber a importância da autoconfiança para sobreviver e prosperar neste novo mundo.

LEIA TAMBÉM: 4 maneiras criativas de atrair e manter funcionários millennials

A realidade é que essa nova economia é dura, fria e implacável. Você precisa encarar que está por conta própria. O destino da sua carreira está em suas mãos – tanto o sucesso quanto o fracasso. Você não pode – e não deve – confiar em mais ninguém.

Você deve se tornar auto-suficiente, deve ter a capacidade de se adaptar a circunstâncias difíceis e que mudam rapidamente. Você precisará lidar com todos os tipos de desafios. Terá que que aprender constantemente, reinventar-se, encontrar novos empregos, aprender novas maneiras de criar valor. Você terá que se defender de tudo e se cercar de pessoas com as mesmas opiniões.

Parece frio, mas, acredite, é uma sensação libertadora. Você não precisa depender de uma empresa, o que interessa é procurar o que é melhor para si mesmo.

Não há necessidade de seguir o caminho em que todos os outros estão. Crie seu próprio caminho e construa seu futuro único. Tenha esperança, otimismo e confiança em suas habilidades e siga o que deseja em sua carreira.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).