Os eventos profissionais estão voltando: como investir em networking (sem descuidar da saúde)

Timidamente, algumas empresas começam a promover conferências e seminários presenciais. Veja como se preparar para essas reuniões nos novos tempos.

Dr. Ruth Gotian
Compartilhe esta publicação:
getty
getty

Aglomerações ficaram no passado. Prepare-se para os novos eventos corporativos e alimente seu networking sem prejudicar a saúde

Acessibilidade


Recentemente, participei de minha primeira conferência presencial em dois anos. Apresentar algo para uma plateia real e fazer networking entre as sessões é algo que eu não acontecia desde o início da pandemia. Nesse tempo, me acostumei a olhar para um ponto verde no meu laptop e a fazer networking via chat. O primeiro dia depois do isolamento foi um pouco estranho. Estava completamente indisposta. Mas, assim como andar de bicicleta, tudo veio de novo à memória. À medida que voltamos lentamente às reuniões presenciais em várias formas, aproveito para atualizar algumas das melhores práticas para interagir.

Chegue cedo
Já dei inúmeras palestras durante minha carreira e ainda gosto de chegar cedo à sala onde irei apresentar, de preferência antes de todo mundo. Isso me permite ver onde as pessoas estão sentadas, se ficam em fileiras ou ao redor de mesas, quantos assentos estão disponíveis, a que distância ficarei do público etc. Permite que minha mente e meu corpo se acostumem com o ambiente onde terei de interagir e me dá dicas de como me posicionar. Tenho que encontrar uma maneira de ser envolvente, apesar do distanciamento, e conhecer o layout da sala é um primeiro passo crucial.

Entenda o que funciona para você
Além de não ser capaz de estimular a energia do público quando estou olhando para uma tela, a parte mais desafiadora para mim nas palestras virtuais é que fico presa na frente do computador, totalmente parada. Quando apresento pessoalmente, gosto de circular livremente no palco ou pelo ambiente. Como cheguei cedo ao evento, perguntei ao técnico de audiovisual se ele tinha um microfone de lapela. Optar por não falar no púlpito me permitiu andar pela sala (a uma distância segura, é claro), fazer perguntas ao público e envolvê-lo na apresentação. Gosto que minhas palestras sejam interativas – e estar mais perto do público e olhar nos olhos é um ingrediente crucial.

SAIBA MAIS: Bye bye home, hello office: como encarar o retorno ao escritório sem traumas

Aproveite o tempo entre as sessões
O tempo entre as sessões, a fila no Starbucks ou no banheiro é o momento ideal para conhecer novas pessoas. O crachá da conferência, geralmente do tamanho de uma placa de carro (muito importante em tempos de distanciamento social), é uma indicação de que eles estão ali com o mesmo propósito que você. Tenha algumas frases iniciais prontas, aquelas perfeitas pra começar uma conversa. Considere algo do tipo: qual foi sua sessão favorita? Ou: você teve que viajar muito para chegar aqui? E assim inicie uma conversa que pode trazer benefícios.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Contate pessoas com antecedência
Havia várias pessoas que eu sabia que estariam nesta conferência – algumas que eu ainda não conhecia pessoalmente e outras com quem queria conversar. Entrei em contato com antecedência, pedindo para fazermos uma caminhada juntos. Assim, tive a oportunidade de manter conversas mais profundas, um a um, com antigos amigos e colegas. E também de me aproximar de conhecidos do mundo virtual.

Embora as conferências virtuais provavelmente sejam um marco em nosso presente e futuro, para aqueles que estão preparados e podem se aventurar um pouco em reuniões profissionais presenciais, um pouco de planejamento pode ajudar a recuperar o seu ânimo para essa troca e azeitar sua rede de contatos.

Compartilhe esta publicação: