10 motivos pelos quais talvez você não queira ser um bilionário

Dizem que Sigmund Freud afirmou, certa vez, que, caso tivesse que escolher entre um paciente rico e um paciente pobre, escolheria o rico. Por quê? Porque o paciente rico já sabe que dinheiro não é a resposta para seus problemas.

VEJA MAIS: Gates: por que duvidar da filantropia dos bilionários?

Muitas pessoas ainda acham que, se tivessem um avião, um iate, uma garagem cheia de carros e seis casas com 150 funcionários para atendê-las, estariam muito mais satisfeitas e felizes.

É por isso que foi tão importante para mim ter trabalhado como produtor executivo de “Quem Quer Ser um Bilionário”, um programa norte-americano de televisão que tem uma versão brasileira, apresentada por Luciano Huck na Rede Globo. Conversas com bilionários e com pessoas que os atendem desafiaram completamente qualquer pré-concepção que eu tinha sobre suas vidas, incluindo a de que ter dinheiro era sinônimo de felicidade.

Como diria o bilionário Warren Buffett: “O dinheiro não pode comprar felicidade, mas certamente lhe proporcionará ótimas memórias”.

Em meu trabalho, descobri que os super-ricos não são super-felizes, e vários estudos feitos pelo Centro de Riqueza e Filantropia da Universidade de Boston acerca desse grupo sustentam minhas descobertas. As pesquisas têm, consistentemente, chegado à conclusão que os participantes são, em geral, insatisfeitos, e que suas fortunas contribuem para uma profunda ansiedade envolvendo amor, trabalho e família. Muitas vezes, eles são até mesmo insatisfeitos com o tamanho de suas riquezas.

Então, caso você seja uma dessas pessoas que acredita que a sua vida seria muito melhor caso alguns milhões caíssem em sua conta, veja, na galeria abaixo, certas situações que podem fazer você desistir da vida bilionária:

  • 1. Você se preocuparia muito mais com dinheiro

    Parece que as únicas pessoas que se preocupam mais com dinheiro do que os pobres são aquelas extremamente ricas. Elas se preocupam com a perda de dinheiro, com os investimentos e com os resultados desses investimentos. As ansiedades, assim como os zeros de suas contas bancárias, são enormes.

  • 2. Você não saberia quem são seus amigos de verdade

    Os bilionários relatam, frequentemente, que sentem que seus relacionamentos foram afetados e, em alguns casos, tornaram-se dependentes de sua riqueza. “Às vezes, eu penso sobre a quantidade de pessoas que deixariam de ser nossos amigos caso achassem que não poderiam mais obter benefícios às nossa custas”, escreveu um dos entrevistados da pesquisa. “Poucas pessoas conhecem a minha riqueza de perto e, se a conhecessem, acredito que mudariam suas posturas diante do nosso relacionamento”, afirmou outro participante.

  • 3. Muitas pessoas iriam invejá-lo ou desprezá-lo

    Especialmente se você herdou sua fortuna, muitas pessoas certamente iriam desprezá-lo ou invejá-lo. “Muitas vezes a palavra ‘rico’ se torna pejorativa”, diz Robert A. Kenny, que se formou em psicologia e é um dos pesquisadores de Boston.

  • 4. A estrutura que o trabalho dá à sua vida poderia não mais existir

    Eu sei que muitos de nós sonhamos em nunca ter que trabalhar, mas uma vida sem trabalho pode ser uma vida sem propósito. O progresso profissional ou empreendedor é, muitas vezes, a forma pela qual medimos o nosso próprio sucesso. Sem trabalho, pode ser difícil avaliar se seu tempo foi bem gasto. No “clube dos espermas sortudos” (termo de Warren Buffett para definir os herdeiros), muitas vezes falta motivação para realizar qualquer coisa, ou até mesmo para fugir da sombra dos pais.

  • 5. Você se preocuparia mais (e não menos) com os seus filhos

    Embora muitos bilionários estejam aliviados pelo fato de a educação de seus filhos estar garantida, eles se preocupam muito com o fato de o dinheiro lhes tirar a ambição. Ter dinheiro pode fazer com que eles tenham uma visão de mundo errada, segundo um dos entrevistados. “O dinheiro pode atrapalhar, dando uma sensação de direito e os impedindo de desenvolver empatia e compaixão”, disse. Alguns temem que seus filhos se tornem “dependentes” de fundos fiduciários se suas heranças forem muito grandes. Ou, ainda pior: que fiquem para sempre ressentidos caso essa mesma herança (ou parte dela) fosse deixada para a caridade.

  • 6. Você compararia suas conquistas com as de outros bilionários

    Um exemplo disso são os iates. “Eles querem sempre o que o seu seja maior e melhor”, diz a escritora e jornalista Rachel Johnson. “Quando o iate de outro bilionário é maior, eles sentem que falharam. Mesmo que tenham um enorme.”

  • 7. Presentes perderiam o significado

    Imagine um mundo onde todos os seus presentes fossem avaliados pelo custo. “Esse presente é incrível. Mas no ano passado, você me deu um carro.”

  • 8. Ainda que tenha muitas propriedades, você perderia o senso de “lar”

    O bilionário médio possui, em média, seis propriedades: a principal, um chalé na montanha ou de esqui, uma residência de praia, uma de campo ou uma fazenda, uma outra base em uma cidade grande e algum tipo de propriedade histórica. Inevitavelmente, isso pode significar que eles não têm nenhum lugar para chamar de “lar”.

    “Pense em alguém que tenha várias casas”, propõe Jane Urquhart, diretora da London Academy for Household Staff. “Uma em seu país de origem, que conta com um mordomo, uma governanta e um motorista. Todos os dias, a governanta coloca flores sobre a mesa, o mordomo confere se tem gelo no balde e o motorista verifica se o carro está, de fato, impecável. Tudo pode estar funcionando, mas o dono da casa, às vezes, nunca nem dormiu lá.”

    O corretor de imóveis da Sotheby’s, Alexander Kraft, revela que há muita rivalidade entre os bilionários: “Será que eu moro no melhor bairro? Será que tenho a melhor casa de Cap Ferrat, no sul da França? Será a minha propriedade em Eaton Square a maior? Será que a minha cobertura na 5ª Avenida é a melhor em Nova York?”, perguntam.

  • 9. Seria muito mais difícil encontrar o amor verdadeiro

    “Quando se trata de amor e romance, é um pesadelo ser bilionário, porque eles nunca podem confiar em ninguém”, diz a casamenteira Mary Balfour. “Eles sentem que podem ser explorados pelas pessoas.”

    “Espero não ser mal visto, mas a melhor carreira para uma mulher é casar-se com um homem rico sem um acordo pré-nupcial”, diz o advogado especializado em divórcios Raymond Tooth.

    Na pesquisa da Universidade de Boston, uma mãe rica escreveu que teme que os homens da vida de suas filhas se sintam “impotentes”, e que “seu papel de provedor seja usurpado”.

    Segundo Freud, “o amor e o trabalho são as duas coisas que você precisa na vida”. A riqueza, muitas vezes, prejudica ambas.

  • 10. Você poderia sentir que não tem mais direito de reclamar

    A maioria das pessoas está presa às suas críticas. Isso é algo que os bilionários dizem que parecem ter perdido o direito de fazer, por medo de parecerem ingratos.

1. Você se preocuparia muito mais com dinheiro

Parece que as únicas pessoas que se preocupam mais com dinheiro do que os pobres são aquelas extremamente ricas. Elas se preocupam com a perda de dinheiro, com os investimentos e com os resultados desses investimentos. As ansiedades, assim como os zeros de suas contas bancárias, são enormes.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).