5 dicas para mães que trabalham cuidarem melhor de si mesmas

Getty Images
Lisa Abramson ajuda mulheres a conciliarem trabalho e maternidade

Resumo:

  • Após um caso raro de psicose pós-parto, Lisa se dedicou a ajudar outras mães que passam por situações semelhantes;
  • Autoconhecimento e reservar um tempo para refletir são algumas das bases para o cuidado pessoal;
  • É importante ter uma rede de apoio, falar “não” e pedir ajuda quando necessário.

Lisa Abramson é uma oradora, coach executiva e autora que se tornou um ícone entre as mães que sofrem de depressão pós-parto. Isso aconteceu depois que ela revelou publicamente sua própria história de psicose depois do nascimento do filho. Seu TEDx sobre a transição para a maternidade teve mais de 65 mil visualizações. Seus programas ensinam líderes femininas de alto potencial a ter o sucesso de maneira sustentável e têm sido utilizados em empresas como Google, Stanford Graduate School of Business, LinkedIn, YouTube e Microsoft, entre outras. Lisa foi destaque em inúmeros artigos e podcasts, e é uma oradora cuja agenda está sempre lotada. Ela também publica meditações guiadas que já foram vistas mais de um milhão de vezes.

Logo após o nascimento de seu primeiro filho, Lisa começou a sofrer de uma variante rara da depressão pós-parto, chamada “psicose pós-parto”. Além de vivenciar uma depressão incapacitante, ela também perdeu o contato com a realidade e começou a ouvir coisas e a alucinar. Aterrorizada e confusa sobre o que estava acontecendo, ela se tornou uma suicida em potencial e passou dez dias trancada em uma enfermaria psiquiátrica. “Eu cheguei ao fundo do poço, tanto como mãe e professora de mindfulness“, lembra. “Foram necessários muitos passos corajosos nos meses seguintes para que eu me recuperasse. Felizmente, acabei não apenas ficando melhor, mas também muito mais forte ao longo do caminho.”

Cerca de dois anos após o incidente, Lisa foi convidada a dar uma palestra no TEDx sobre o que havia acontecido. Ela decidiu compartilhar sua história profundamente pessoal para ajudar outras mães que estão sofrendo do mesmo mal a se sentirem menos sozinhas. Depois que fez isso, ela nunca mais olhou para trás. Desde então, assumiu um papel ativo como defensora da saúde mental materna e até escreveu um livro para ajudar as mães de primeira viagem (“The Wise Mama Guide to Maternity Leave”), sem versão em português.

Lisa acredita que, para descobrir o nosso propósito de vida, precisamos nos conhecer profundamente e depois tomar medidas corajosas. Ela se conheceu melhor ao longo dos anos por meio da leitura de livros de auto-ajuda, meditação e terapia, além de participar de retiros e de cursos on-line. Ela percebeu, em dado momento, que seu propósito é inspirar outras mulheres a estarem presentes em suas próprias vidas e a sentirem amor e alegria todos os dias. Mas levou anos até que ela descobrisse como compartilhar seus dons com o mundo e transformar esse sonho em realidade.

Com o tempo, Lisa ganhou coragem suficiente para agir. A chave, diz ela, é acreditar em si mesma e estar disposta a cometer erros. Agora, seu propósito de vida e seu trabalho estão muito interligados. “Adoro fazer a diferença na vida das pessoas. Eu tenho mais energia e entusiasmo pela vida. Eu amo aparecer no trabalho todos os dias. Enfim, viver de maneira autêntica é muito menos cansativo do que representar para você ou para os outros.”

Veja, na galeria de fotos a seguir, 5 dicas de Lisa Abramson para mães que trabalham cuidarem melhor de si mesmas segundo Lisa Abramson:

1. Dê um tempo a si mesma. Melhor ainda, esteja do seu lado

Não ouça seu crítico interior e aprenda a ser sua maior apoiadora. Se alguém a nossa volta falasse conosco da maneira como nós mesmas falamos, provavelmente essa pessoa não estaria em nossas vidas. Ainda assim, toleramos muitas palavras duras de nós mesmas, que nos deixam desanimadas e esgotadas. Temos que aprender maneiras de sermos mais compreensivas conosco. Pode parecer estranho no começo construir essa barreira de autocompaixão, mas com o tempo ela se torna mais natural.

2. Deixe de lado o que você “deve” fazer e foque no que você precisa

Pode ser útil dizer “eu escolho fazer isso” em vez de dizer “tenho que fazer isso”. Isso lembra que você está no controle e pode fazer escolhas diferentes. Também pode ser produtivo trabalhar com um coach para esclarecer o que você está tentando criar em sua vida. Quanto mais clareza você tiver, mais fácil será deixar de lado os “deveres” que a prendem e tomam seu precioso tempo.

3. Esqueça a ideia de que produtividade e dignidade são coisas interligadas

Esta é uma batalha invencível e leva a um círculo vicioso do “nunca é o suficiente”. Evite a tentação de sobrecarregar sua vida. Arranje tempo para desligar. Todos nós precisamos e merecemos tempo de inatividade e descanso. Diga não com mais frequência.

4. Defina limites e mantenha-os para evitar o desgaste

Uma tática útil é começar com um “não” e depois se convencer a mudar para um “sim” – e não o contrário. Dessa forma, você estará aceitando apenas aquilo que realmente se alinha com os seus valores e prioridades. Exagerar com amigos e família pode levar ao esgotamento. Ter quatro festas infantis em um fim de semana também. Cabe a você dizer “não” se achar que é demais.

5. Exercite o pedido de ajuda

Pedir ajuda é, muitas vezes, desconfortável, mas é algo que fica mais fácil com o tempo. Nós fomos ensinadas a valorizar a autoconfiança acima de tudo. E isso fica no nosso caminho. Precisamos de outras pessoas, especialmente as mães. Quanto mais procuramos ajuda, mais fortes somos.

Siga a FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).