OMS inclui a síndrome de burnout na lista de doenças

A nova classificação entra em vigor a partir de janeiro de 2022.

Beatriz Boyadjian
Compartilhe esta publicação:
People Images/Getty Images
People Images/Getty Images

O distúrbio se refere especificamente a fenômenos relativos ao contexto profissional

Acessibilidade


Resumo:

  • A síndrome de burnout – o esgotamento profissional – foi incluída na Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde (OMS);
  • A lista entra em vigor a partir de janeiro de 2022;
  • A OMS explica que o distúrbio se refere especificamente a fenômenos relativos ao contexto profissional.

A síndrome de burnout foi incluída na Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde (OMS). O termo explica a fadiga e o estresse que as pessoas sentem quando estão sobrecarregadas ou perdem a motivação no trabalho. A lista, que é utilizada para estabelecer tendências e estatísticas de saúde, é baseada nas conclusões de especialistas.

LEIA MAIS: Está com estafa? Tente fazer um rap

A decisão foi tomada pelos membros da OMS, que estão reunidos em Genebra, na Suíça, para uma assembleia mundial. A inclusão entra em vigor a partir de janeiro de 2022.

O burnout, anexado no capítulo de problemas associados ao emprego ou ao desemprego, foi descrito como “uma síndrome resultante de um estresse crônico, não administrado com êxito, no local de trabalho”. O quadro é caracterizado a partir de três elementos: sensação de esgotamento, cinismo ou negativismo relacionados ao serviço e eficácia profissional reduzida.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A OMS explica que o distúrbio “se refere especificamente a fenômenos relativos ao contexto profissional e não deve ser utilizado para descrever experiências em outros âmbitos da vida”.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Compartilhe esta publicação: