Ibovespa amplia baixa no fechamento

Bolsa brasileira acompanhou mau humor dos mercados internacionais com receios sobre prejuízos econômicos com coronavírus.

Forbes Daily, por Luciene Miranda
Compartilhe esta publicação:
Amanda Perobelli - REUTERS

Bolsa brasileira acompanha clima de aversão ao risco com coronavírus nos mercados globais

Acessibilidade


O Ibovespa ampliou perdas no final do pregão de hoje (7), em sintonia com as baixas no exterior. As bolsas norte-americanas sequer viram ânimo nos dados positivos de emprego divulgados mais cedo, e registraram quedas pelos temores com o coronavírus.

Aqui, o índice Bovespa terminou o dia com queda de 1,23% aos 113.769 pontos. O volume financeiro do pregão foi de R$ 24,6 bilhões.

LEIA TAMBÉM: Dólar renova recorde de alta

O estresse é causado pelas dúvidas do mercado sobre a dimensão do impacto econômico do coronavírus na China e, consequentemente, nos países que são seus parceiros comerciais.

Em relação ao Brasil que tem o país asiático como principal mercado consumidor para suas exportações, analistas já revisam projeções para a balança comercial e o PIB, o Produto Interno Bruto.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Uma das principais commodities exportadas para a China, o minério de ferro, teve leve recuperação hoje no mercado futuro chinês, mas registrou perdas acentuadas durante a semana.

Outra commodity, o petróleo, registrou baixa durante o dia em torno de 1% tanto no preço do WTI, quanto do Brent.

Na lista das maiores quedas do Ibovespa, as ações da IRB (IRBR3) com desvalorização de 7,32% a R$ 39,53, MRV (MRVE3) que caiu 5,12% a R$ 20,02, B2W (BTOW3) com recuo de 4,95% a R$ 67.96 Cogna (COGN3) que perdeu 4,64% a R$ 11,30 e CVC (CVCB3) que registrou desvalorização de 4,38% a R$ 34,92.

Na lista das principais altas do índice, BB Seguridade (BBSE3) com ganhos de 1,61% a R$ 35,36, Hypera (HYPE3) que avançou 1,52% a R$ 38,63, Itau Unibanco (ITUB4) com valorização de 1,29% a R$ 33,71, Santander (SANB11) com mais 1,23% a R$ 42,00 e Bradesco (BBDC4) que subiu 1,14% a R$ 33,73.

Pela manhã, o IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, divulgou a inflação oficial de janeiro medida pelo IPCA, Índice de Preços ao Consumidor Amplo. O indicador variou 0,21% no menor resultado para um mês de janeiro desde o início do Plano Real. Em dezembro, o IPCA subiu 1,15%. No acumulado dos últimos doze meses, a inflação oficial teve alta de 4,19%.

****

Luciene Miranda é jornalista especializada em Economia, Finanças e Negócios com coberturas independentes na B3, NYSE, Nasdaq e CBOT

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: