Índice Bovespa amplia alta à tarde

Getty Images
Ibovespa amp

Ibovespa amplia ganhos no período da tarde acompanhando mercados no exterior

O Ibovespa sustenta a alta no período da tarde de hoje (12), com o amparo dos ganhos dos índices nas bolsas dos Estados Unidos.

Os investidores estão mais tranquilos em relação às informações oficiais sobre o avanço do coronavírus, que apontam queda na taxa de mortalidade em 22% desde a última atualização.

LEIA TAMBÉM: Ibovespa sobe com melhor ânimo no exterior

De acordo com o governo chinês, a doença já matou 1.113 pessoas e infectou, até agora, 44.653.

Às 14h30, horário de Brasília, o índice subia 1,14% aos 116.684 pontos.

As ações da Tim continuam entre os destaques de alta da carteira do Ibovespa após a divulgação do balanço de 2019. No quarto trimestre, a operadora de telefonia registrou lucro líquido de R$ 756 milhões, com alta de 28,7% na comparação com o mesmo período de 2018.

As ações TIMP3 tinham valorização de 3,79% a R$ 7,40.

Ainda entre as maiores altas do índice, Cielo (CIEL3) com alta de 3,79% a R$ 7,40, Klabin (KLBN11) que subia 3,46% a R$ 21,50, Cogna (COGN3) com ganhos de 3,23% a R$ 11,51 e Suzano (SUZB3) que avançava 3,22% a R$ 39,73.

Na lista das principais quedas do Ibovespa, CVC (CVCB3) que perdia 2,83% a R$ 33,62, Marfrig (MRFG3) com desvalorização de 2,66% a R$ 10,62, IRB (IRBB3) que caía 2,05% a R$ 33.94, JBS (JBSS3) com menos 1,89% a R$ 25,47 e Bradesco (BBDC3) com recuo de 1,71% a R$ 32,19.

Pela manhã, o mercado acompanhou o anúncio de indicador do setor de varejo pelo IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Em dezembro, houve um recuo de 0,1% quando o mercado aguardava um avanço de 0,2%. Na variação anual, os dados de varejo apresentam alta de 2,6%.

A partir deste resultado, analistas já começam a mudar a percepção sobre a conduta do Banco Central na política monetária do país. Apesar dos comunicados do Copom, o Comitê de Política Monetária, sinalizando o fim do ciclo de cortes da taxa básica de juros, o mercado acredita que um desaquecimento do consumo no país dá margem a mais um corte na Taxa Selic este ano.

No mercado de câmbio, o dólar segue em alta em relação ao real, com valorização de 0,39% a R$ 4,34. O euro oscilava perto da estabilidade a R$ 4,72.

****

Luciene Miranda é jornalista especializada em Economia, Finanças e Negócios com coberturas independentes na B3, NYSE, Nasdaq e CBOT

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).