Andrew Cuomo detalha plano de duas fases para reabrir Nova York

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, declarou que não se pode dizer às pessoas que moram em ambientes urbanos densos: ‘Não temos nada para fazer”

Algumas regiões de Nova York podem começar a reabrir já em 15 de maio, segundo o anúncio do governador Andrew Cuomo divulgado ontem (26). Ele elaborou um plano em duas fases para começar a tirar o estado do isolamento, enfatizando que áreas diferentes terão datas de reabertura distintas, mas que a densa população da cidade de Nova York precisará ter pelo menos algumas “atividades de verão” disponíveis para os moradores, o que parece ser uma contradição aos comentários do prefeito da cidade, Bill de Blasio.

Segundo Cuomo, o norte de Nova York tem mais chances de entrar na primeira fase após 15 de maio “com certas precauções”. Já o sul do estado –que inclui as cidades de Nova York, Westchester e Long Island– pode demorar mais para reabrir.

VEJA MAIS: Estado de Nova York registra mais de 600 mortos em um dia por coronavírus

A primeira fase da reabertura incluirá os setores de construção e manufatura com baixo risco, disse Cuomo. A fase dois será mais complexa, segundo o governador, e conta com um conjunto de negócios mais essenciais e com menor risco de infectar pessoas.

Um tempo de espera de duas semanas –que é o período de incubação do vírus– ocorrerá entre as fases para monitorar o efeito da implementação de cada uma e a taxa de infecção, disse Cuomo.

O político também anunciou que a reabertura depende de um declínio nas taxas estaduais e regionais de hospitalização e citou orientações federais dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (Centers of Disease Control and Prevention ou CDCs).

O comentário de Cuomo sobre o interior de Nova York precisar de atividades de verão permitidas para os residentes pareceu ir contra a ideia de Blasio de manter piscinas e praias fechadas durante o verão.

“Você não pode dizer às pessoas que moram em ambientes urbanos densos: ‘Não temos nada para fazer’, há uma equação de sanidade aqui ”, disse Cuomo.

O governador também explicou o que acontecerá após 15 de maio, data em que as medidas de isolamento em Nova York expiram. “Ao chegarmos no dia 15 de maio, presumiremos que haverá um declínio da taxa de hospitalização no estado por 14 dias, mas quais regiões apresentarão essa redução? É quando se inicia a conversa para chegar à fase um naquela área”, disse Cuomo.

De Blasio foi criticado por declarar que piscinas públicas e acampamentos de verão não estarão abertos para a temporada. “Mantenha as expectativas baixas por enquanto”, disse ele em 16 de abril. Cuomo e ele discutiram anteriormente sobre o fechamento de escolas em Nova York, depois que o prefeito anunciou que as instituições públicas da cidade permaneceriam fechadas pelo resto do ano letivo⁠. O governador disse que o poder de tomar a decisão é sua “autoridade legal” e enfatizou que a reabertura de escolas deve fazer parte de um plano regional.

Cuomo explicou que o estado dependerá das empresas para fazer sua própria análise de quão arriscado seria para elas voltarem a funcionar normalmente. As companhias precisarão fornecer informações sobre quais precauções e salvaguardas serão adotadas a fim de proteger os trabalhadores. “Uma ressalva”, apontou ele, “é que você não pode fazer nada em nenhuma região que aumente o seu número de visitantes”. Se algo for aberto em Siracusa, que atraia visitantes de Nova Jersey, Connecticut ou Nova York, há temores de que a taxa de infecção por coronavírus possa aumentar novamente. “A coordenação [entre estados] é importante”, disse Cuomo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).