Casamento por teleconferência passa a ser permitido em NY

gettyimages-twillightshow
gettyimages-twillightshow

A oficialização do casamento tem os efeitos legais que muitos casais buscam, como o direito a compartilhar plano de saúde

Nova-iorquinos que viram seus planos frustrados pela pandemia de coronavírus já podem preparar as alianças: no Estado mais afetado dos Estados Unidos, o vírus não impede ninguém de casar. O governador, Andrew Cuomo, anunciou no fim de semana que casamentos serão permitidos por teleconferência, ou seja, utilizando serviços como Skype ou Zoom.

“Cerimônias de casamento virtuais. Não há desculpa agora quando a questão é casar. Sem desculpa. Você pode fazer isso por Zoom. Então, sim ou não?”, brincou Cuomo, ao dizer que assinaria uma ordem executiva com a medida.

LEIA TAMBÉM: O poder da adaptação: como a Vittude continua crescendo em meio à crise

A decisão foi tomada depois que Cuomo anunciou que a paralisação do Estado, que tem mais de 114 mil mortes em decorrência da Covid-19, será estendida ao menos até 15 de maio. Os nova-iorquinos vivem há quase 40 dias sob isolamento e o relaxamento das medidas deve ser gradual.

A oficialização do casamento tem os efeitos legais que muitos casais buscam, como o direito a compartilhar plano de saúde. Por isso, um condado em Ohio passou a autorizar casamentos por teleconferência em casos específicos, como dificuldades com o seguro saúde ou quando um dos noivos é um profissional da área médica. O Estado de Colorado também adotou medidas semelhantes às de Nova York. (Com Agência Estado)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).