Confira as dicas de Guilherme Benchimol, CEO da XP Inc., para gerir seus negócios em tempos de crise

Divulgacao
Divulgacao

O CEO explicou que em menos de duas semanas, a XP Inc. passou a funcionar de maneira remota

Guilherme Benchimol, fundador e CEO da XP Inc., foi um dos convidados do CEO e publisher da Forbes Brasil, Antonio Camarotti, para uma conversa ao vivo no Instagram da Forbes Brasil e reproduzida no canal do YouTube na Forbes Live de segunda-feira (20). A conversa dos empresários girou em torno de como o novo coronavírus afeta os negócios e as soluções para passar pela crise da maneira mais eficaz possível.

Benchimol começou contando um pouco sobre como o vírus impactou sua empresa. Um de seus funcionários voltou de Milão infectado e chegou a ir à companhia antes de ser diagnosticado. Mesmo ele não tendo disseminado a doença a nenhum de seus colegas de trabalho, Benchimol contou que a experiência contribuiu para a forma com a qual ele lidou com a situação. “Ali a gente sentiu a coisa muito perto da gente, e quando você sente algo perto você tem outra reação.” Por isso, ele agiu rápido. Em dez dias, a XP funcionava remotamente. Hoje, dos quase 3.000 funcionários, apenas 50 vão à empresa regularmente.

LEIA MAIS: XP vai lançar pacote completo de serviços financeiros

A mudança foi rápida e inesperada não só para XP, mas para qualquer negócio. E Benchimol aponta benefícios que o home office trouxe. “A gente consegue exercer nossas atividades com muito mais intensidade sem toda a logística de transportes”, ele explicou. “Hoje eu estou falando com você e já fui para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste.” O CEO explicou que, mesmo com a falta de contato humano, ele percebe sua equipe mais focada, indo direto ao ponto e até mesmo mais pontual.

Para Benchimol, uma decisão importante foi a de manter as metas de sua empresa. Mesmo reconhecendo que a XP tem o atual privilégio de poder funcionar sem uma loja física aberta, essa medida mantém o time com um objetivo permanente. Em crise, seu segredo foi mudar suas práticas, mas manter seus objetivos.

Uma das maneiras que a XP encontrou para adaptar seus negócios foi se conectar mais com seus clientes. Milhões de pessoas investem em bancos do conforto de suas casas, então eles perceberam que podiam continuar seus negócios com mais engajamento. Daí, nasceram ideias como lives e outras formas de conteúdo para levar informação às pessoas em casa, para que possam investir de forma inteligente e dessa forma, tomar isso como um incentivo para investir mais.

Benchimol explicou que, ao contrário de muitos empresários, ele vê benefícios na crise e enxerga a atual situação como um incentivo para produzir mais, ser mais inovador e se aproximar mais de seus clientes. O empresário chamou a atenção para o que ele se refere como a metáfora do carro: se seu carro quebrar na estrada e você somente pedir ajuda, as chances de alguém parar e ajudar são poucas. Agora, se você começar a empurrar seu carro sozinho, pessoas vão parar e começar a empurrar o carro mesmo sem um pedido. “Se você dá o seu máximo, o seu limite, muitas pessoas vão abraçar sua causa, e começa a acontecer uma corrente do bem.”

Para assistir à entrevista completa de Antonio Camarotti com Guilherme Benchimol, confira o vídeo abaixo. No canal do Youtube da Forbes Brasil, você encontra mais entrevistas ao vivo como essas nas Forbes Lives.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).