Dólar devolve perdas ante real após dados pessimistas sobre desemprego nos EUA

iStock
Às 10:27, a moeda norte-americana avançava 0,04%, a R$ 5,2635 na venda

O dólar zerava as perdas contra o real na manhã de hoje (2) e rondava a estabilidade após dados pessimistas sobre o desemprego nos Estados Unidos, embora uma recuperação nos preços do petróleo fornecesse algum apoio à moeda brasileira.

Às 10:27, a moeda norte-americana avançava 0,04%, a R$ 5,2635 na venda, enquanto o principal contrato de dólar futuro subia 0,29%, a R$ 5,274. Mais cedo, o dólar à vista havia tocado R$ 5,2234 na mínima do dia, queda de 0,72%.

LEIA MAIS: Dólar inicia abril com novo recorde

“Houve um aumento expressivo nos preços do petróleo, o que está dando algum suporte para a moeda (real)”, disse à Reuters Luciano Rostagno, estrategista-chefe do Banco Mizuho.

Os preços do petróleo saltavam cerca de 10% hoje, depois que o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que espera que Arábia Saudita e Rússia cheguem a um acordo em breve para encerrar sua disputa pelo mercado de petróleo.

No entanto, “os novos pedidos de auxílio desemprego nos EUA ajudam a manter cautela”, disse Rostagno. “O dado veio bem acima do consenso, muito pior do que o esperado. Isso sugere um impacto econômico bem maior do que o imaginado na economia norte-americana.”

O número de norte-americanos que apresentaram pedidos de auxílio-desemprego na semana passada atingiu um recorde de 6,65 milhões ante 3,3 milhões em dado não revisado ​​na semana anterior, informou o Departamento do Trabalho dos EUA hoje.

Economistas consultados pela Reuters previam que os pedidos chegariam a 3,5 milhões.

No exterior, divisas arriscadas, como dólar australiano, peso mexicano e rand sul-africano, registravam amplas perdas contra a moeda norte-americana na esteira dos dados pessimistas.

VEJA TAMBÉM: Dólar chega a superar máxima histórica acima de R$ 5,25

No Brasil, medidas econômicas do governo no combate ao coronavírus estavam no radar dos investidores. Foi anunciado ontem (1) programa de preservação de empregos que permite redução de salário e jornada de até 70% por um período de três meses, com o pagamento de compensação parcial pelo governo aos trabalhadores, ou a suspensão do contrato de trabalho por até 60 dias.

Além disso, o Conselho Monetário Nacional, em sessão extraordinária realizada ontem, autorizou várias medidas para aliviar as consequências da disseminação da pandemia.

O dólar interbancário subiu 1,29% ontem, a R$ 5,2613 na venda, nova máxima recorde para fechamento.

Nesta sessão, o Banco Central ofertará até 10 mil contratos de swap cambial tradicional com vencimento em outubro de 2020 e janeiro de 2021, par rolagem de contratos já existentes.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).