Arte em tempos de quarentena? Confira os insights de Isabelle Drummond

Divulgação
Divulgação

A atriz e emprendedora Isabelle Drummond vê o distanciamento social como uma forma de artistas se reinventarem

O distanciamento social pode ser difícil, mas a quarentena também tem potencial para ser um período de produtividade e criatividade. Esse foi um dos assuntos abordados pela atriz e empreendedora Isabelle Drummond em conversa com o CEO e publisher da Forbes Brasil, Antonio Camarotti, no Instagram da revista.

Para Isabelle, uma forma otimista de se olhar para a quarentena é enxergando a oportunidade de se retomar hobbies antigos ou aprender novos. “A gente está redescobrindo coisas que talvez, na rotina, perdemos um pouco. Hábitos como cozinhar, dar banho nos cachorros, ler”, a atriz explicou.

LEIA MAIS: “Eu criei um produto para agradar à favela e ao asfalto”, diz Anitta

Isabelle integra a lista Forbes Under 30 de 2018 por sua carreira de atriz e empreendedora. Com apenas 6 anos de idade, após muitos pedidos, sua mãe a levou a uma agência de talentos. Após alguns comerciais e uma pequena participação em uma novela, veio seu primeiro grande papel como Emília no “Sítio do Pica-Pau Amarelo”, onde ela estrelou por seis anos.

“No começo, os textos eram lidos pela minha mãe. Ela ia falando e eu ia repetindo, até que eu comecei a ler por mim mesma”, a atriz contou, Após sua participação na série, Isabelle entrou no mundo das novelas, que estrela até hoje. O setor da arte, no entanto, foi fortemente afetado pela pandemia, que obrigou gravações, peças teatrais e shows a serem cancelados temporariamente. “Muitos artistas são como pequenas empresas, vivem do que vendem, e se não conseguem vender, não têm caixa”.

Proeminente voz de seu setor, ela reconhece a importância da arte principalmente em momentos de crise como esse. “A arte nos permite ter esperança, sonhar e imaginar. Os artistas vão profetizar nosso futuro através da inspiração”, disse, reconhecendo que será necessário uma reinvenção. Os profissionais da arte e seus negócios não estão imunes à pandemia, por isso, precisarão se adaptar ao novo mercado como qualquer outra área.

Mas como manter a arte viva em tempos de quarentena e distanciamento social? Para Isabelle, ainda é muito cedo para dizer, mas essa é uma questão já muito em debate nos bastidores do setor.

Além da carreira artística, Isabelle é empreendedora e se dedica a projetos de filantropia. São de Isabella a ONG Casa 197 e a empresa especializada em comida natural Levê. A entidade busca impulsionar projetos sustentáveis apoiando diversas causas sociais e focando no desenvolvimento da cultura em comunidades. “Sempre tive essa empreendedora dentro de mim. Eu acho que o ator tem essa capacidade de transportar algo para vidas diferentes, por isso entrei nesta jornada.”

Para assistir a entrevista com Isabelle Drummond na íntegra, confira o vídeo abaixo. No canal da Forbes Brasil no Youtube, você encontra diversas outras lives como essa.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).