Novavax inicia testes clínicos de sua vacina contra o coronavírus na Austrália

Se os resultados previstos para julho forem positivos, a empresa diz que começará imediatamente a testagem em outros locais do mundo.

Alex Knapp
Compartilhe esta publicação:
Reprodução / Forbes
Reprodução / Forbes

Cientistas da Novavax trabalham em um de seus laboratórios em Maryland, nos Estados Unidos

Acessibilidade


A Novavax, uma empresa de biotecnologia focada no desenvolvimento de vacinas contra doenças infecciosas, anunciou ontem (25) que está iniciando um ensaio clínico de fase 1 da sua candidata à vacina contra a Covid-19 na Austrália. Os resultados são esperados para julho de 2020.

“Administrar nossa vacina nos primeiros participantes deste ensaio clínico é uma conquista significativa, de modo a nos aproximar um pouco mais do suprimento da necessidade fundamental de um método preventivo eficiente na luta contra a pandemia global de Covid-19”, disse Stanley C. Erck, CEO e presidente da empresa, em um comunicado.

VEJA MAIS: Novavax recebe doação de US$ 388 milhões para desenvolver vacina contra o coronavírus

A Novavax, com sede em Maryland, nos EUA, é uma das várias empresas de biotecnologia que estão na corrida para desenvolver uma vacina contra o SARS-CoV-2, o vírus que causa a Covid-19. Duas outras empresas, Moderna e BioNTech (em parceria com a Pfizer), já iniciaram testes clínicos desses produtos.

Shi Zhengli, vice-diretora do Instituto de Virologia de Wuhan, disse em uma entrevista na “China Global Television Network” que os novos vírus que têm sido descobertos, como o coronavírus, são “apenas a ponta do iceberg” e que a cooperação internacional é necessária para prevenir futuras epidemias.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

No entanto, essas outras duas empresas estão desenvolvendo vacinas de mRNA, um novo tipo que ainda não teve sua eficiência comprovada. Embora existam vários candidatos a produtos desta categoria, nenhum foi aprovado ainda para entrar no mercado. Essas vacinas usam o mRNA a fim de estimular o corpo a produzir cópias da “proteína de pico” do coronavírus, a fim de estimular uma resposta imune.

Por outro lado, a Novavax está desenvolvendo um método preventivo de “subunidade” –que envia cópias da proteína de pico do vírus diretamente para o corpo a fim de estimular a imunidade. Esta é uma tecnologia de vacina estabelecida atualmente já sendo usada contra doenças como HPV, hepatite B e herpes zoster.

Durante o teste, 130 pessoas saudáveis entre 18 e 59 anos serão submetidas a um estudo controlado randomizado. Alguns participantes receberão um placebo, enquanto outros receberão a vacina candidata da Novavax. O procedimento testará duas dosagens diferentes do produto e também doses com e sem adjuvante –um composto que pode ajudar a aumentar a resposta imune de uma vacina. Se os resultados forem positivos, a empresa diz que passará imediatamente para a próxima fase de testes em locais ao redor do mundo.

No mês passado, a Novavax anunciou que receberá até US$ 388 milhões da Coalizão de Inovações em Preparação para Epidemias (Cepi, na sigla em inglês) para ajudar no desenvolvimento e fabricação da vacina. Isso foi baseado no sucesso que sua candidata obteve em modelos animais, e a empresa diz que parte desse financiamento será usado para apoiar os próximos testes de ensaios clínicos. A outra parcela será destinada principalmente à fabricação. A companhia afirma ainda que pretende ter 100 milhões de doses prontas até o final deste ano e um bilhão até o final de 2021.

“Nosso investimento na Novavax nos permite focar na fabricação paralelamente ao desenvolvimento clínico da vacina”, disse o CEO da Cepi, Richard Hatchett, em um comunicado. “Assim, se o produto for comprovado como seguro e eficaz, poderemos disponibilizar doses para quem precisar sem demora.”
A Novavax, uma empresa de biotecnologia focada no desenvolvimento de vacinas contra doenças infecciosas, anunciou ontem (25) que está iniciando um ensaio clínico de fase 1 da sua candidata à vacina contra a Covid-19 na Austrália. Os resultados são esperados para julho de 2020.

“Administrar nossa vacina nos primeiros participantes deste ensaio clínico é uma conquista significativa, de modo a nos aproximar um pouco mais do suprimento da necessidade fundamental de um método preventivo eficiente na luta contra a pandemia global de Covid-19”, disse Stanley C. Erck, CEO e presidente da empresa, em um comunicado.

A Novavax, com sede em Maryland, nos EUA, é uma das várias empresas de biotecnologia que estão na corrida para desenvolver uma vacina contra o SARS-CoV-2, o vírus que causa a Covid-19. Duas outras empresas, Moderna e BioNTech (em parceria com a Pfizer), já iniciaram testes clínicos desses produtos.

Shi Zhengli, vice-diretora do Instituto de Virologia de Wuhan, disse em uma entrevista na “China Global Television Network” que os novos vírus que têm sido descobertos, como o coronavírus, são “apenas a ponta do iceberg” e que a cooperação internacional é necessária para prevenir futuras epidemias.

No entanto, essas outras duas empresas estão desenvolvendo vacinas de mRNA, um novo tipo que ainda não teve sua eficiência comprovada. Embora existam vários candidatos a produtos desta categoria, nenhum foi aprovado ainda para entrar no mercado. Essas vacinas usam o mRNA a fim de estimular o corpo a produzir cópias da “proteína de pico” do coronavírus, a fim de estimular uma resposta imune.

Por outro lado, a Novavax está desenvolvendo um método preventivo de “subunidade” –que envia cópias da proteína de pico do vírus diretamente para o corpo a fim de estimular a imunidade. Esta é uma tecnologia de vacina estabelecida atualmente já sendo usada contra doenças como HPV, hepatite B e herpes zoster.

Durante o teste, 130 pessoas saudáveis entre 18 e 59 anos serão submetidas a um estudo controlado randomizado. Alguns participantes receberão um placebo, enquanto outros receberão a vacina candidata da Novavax. O procedimento testará duas dosagens diferentes do produto e também doses com e sem adjuvante –um composto que pode ajudar a aumentar a resposta imune de uma vacina. Se os resultados forem positivos, a empresa diz que passará imediatamente para a próxima fase de testes em locais ao redor do mundo.

No mês passado, a Novavax anunciou que receberá até US$ 388 milhões da Coalizão de Inovações em Preparação para Epidemias (Cepi, na sigla em inglês) para ajudar no desenvolvimento e fabricação da vacina. Isso foi baseado no sucesso que sua candidata obteve em modelos animais, e a empresa diz que parte desse financiamento será usado para apoiar os próximos testes de ensaios clínicos. A outra parcela será destinada principalmente à fabricação. A companhia afirma ainda que pretende ter 100 milhões de doses prontas até o final deste ano e um bilhão até o final de 2021.

“Nosso investimento na Novavax nos permite focar na fabricação paralelamente ao desenvolvimento clínico da vacina”, disse o CEO da Cepi, Richard Hatchett, em um comunicado. “Assim, se o produto for comprovado como seguro e eficaz, poderemos disponibilizar doses para quem precisar sem demora.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: