Quebec oferece auxílio de US$ 200 milhões ao Cirque du Soleil

Iniciativas da resseguradora precipitaram forte queda das ações e saída de seus principais executivos

Redação
Compartilhe esta publicação:
ReutersInts-Kalnins
ReutersInts-Kalnins

O grupo, que está altamente endividado, estava cogitando pedir proteção à falência em março

Acessibilidade


O Cirque du Soleil, cujo picadeiro está vazio devido à pandemia do coronavírus, irá receber US$ 200 milhões em auxílio da província canadense de Quebec, anunciou uma autoridade hoje (26), como parte das iniciativas para ressuscitar o grupo internacional de entretenimento.

O Ministro da Economia de Quebec, Pierre Fitzgibbon, afirmou que a província tem um acordo para comprar uma participação majoritária do Cirque du Soleil, que tem base em Montreal, caso os acionistas TPG e o conglomerado chinês Fosun International decidam se retirar.

VEJA TAMBÉM: Afetado por coronavírus, Cirque du Soleil avalia opções, incluindo decretar falência

O grupo, que está altamente endividado, estava cogitando pedir proteção à falência em março e demitiu a maioria de seus funcionários após o distanciamento social imposto pela pandemia de coronavírus forçar o cancelamento de vários shows.

“O acordo é que quando os acionistas, o parceiro chinês Fosun e o TPG quiserevem vender, queremos a opção de compra”, disse Fitzgibbon a jornalistas em Quebec.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“É claro que nesse momento encontraremos alguém para administrá-lo. Não é a intenção do Ministro da Economia administrar o Cirque du Soleil, posso garantir isso. Ao mesmo tempo, eu quero controle sobre quem vai comprar. Pois se não tivermos essa cláusula, TPG ou quem for pode vender o circo para qualquer um.”

No domingo (24), o fundador do Cirque du Solei, Guy Laliberté, disse a uma emissora que ele e um grupo de investidores querem comprar de volta a empresa circense. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: