Afetado por coronavírus, Cirque du Soleil avalia opções, incluindo decretar falência

ReutersTobias-Schwarz
A famosa empresa circense teve de dispensar temporariamente a maior parte de sua equipe após o cancelamento de seus próximos shows

O Cirque du Soleil Entertainment Group está avaliando opções para reestruturar dívidas, entre elas um potencial decreto de falência, depois de ter sido forçado a cancelar apresentações por conta da pandemia de coronavírus, disseram pessoas familiarizadas com o assunto. 

A famosa empresa circense baseada em Montreal, amplamente conhecida por suas apresentações em Las Vegas, teve de dispensar temporariamente a maior parte de sua equipe após o cancelamento de seus próximos shows devido à implantação de medidas de distanciamento social para prevenir a propagação do vírus.

LEIA MAIS: 5 empresários brasileiros dizem o que esperam do governo para que a economia não pare

O Cirque du Soleil está trabalhando com consultores de reestruturação para abordar uma crise de liquidez e suas dívidas de aproximadamente US$ 900 milhões, disseram as fontes hoje (26).

Credores também estão se consultando com conselheiros enquanto se preparam para negociar com a empresa, afirmaram as fontes.

O Cirque du Soleil ainda não decidiu como abordar suas finanças problemáticas, avisaram as fontes, que falaram em condição de anonimato. A empresa se recusou a comentar o assunto.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).