Virologista chinesa alerta que coronavírus é “apenas a ponta do iceberg”

Getty Images / Barcroft Media
Getty Images / Barcroft Media

A virologista Shi Zhengli, à esquerda, trabalha com outra especialista no laboratório do Instituto de Virologia de Wuhan

Shi Zhengli, vice-diretora do Instituto de Virologia de Wuhan, disse em uma entrevista na “China Global Television Network” (CGTN) que os novos microrganismos sendo descobertos, como o coronavírus, são “apenas a ponta do iceberg” e que a cooperação internacional é necessária para prevenir futuras epidemias.

A instituição, que abriga o único laboratório de biossegurança de nível 4 (o mais alto em precauções) da China, estuda o coronavírus há anos. O governo Trump sugeriu que o ambiente de estudo e a China tiveram uma responsabilidade no surgimento do novo coronavírus.

VEJA MAIS: Trump x China e medo de 2ª onda de coronavírus marcam semana no mercado financeiro

Shi, vice-diretora do instituto, há muito é conhecida como “mulher morcego” do país por rastrear dezenas de doenças do tipo Sars em morcegos.

Na entrevista que foi ao ar ontem (25) na “China Global Television Network” (CGTN), Shi negou que seu laboratório estivesse envolvido no surto, alegando que os vírus com os quais ela trabalhou não coincidem com os do coronavírus que se espalham nos seres humanos, segundo a agência de notícias “Bloomberg”.

Ela afirmou que o espaço de pesquisas continuaria estudando patógenos não identificados porque os vírus que foram descobertos são apenas “a ponta do iceberg”. A vice-diretora acrescentou que é “muito lamentável” quando a ciência é politizada, e pediu cooperação internacional na luta contra epidemias.

De acordo com a “Bloomberg”, a entrevista de Zhengli com a CGTN coincidiu com o início do Congresso Nacional do Povo, uma reunião anual das principais lideranças da China em Pequim.

O número total de casos confirmados de coronavírus em todo o mundo, de acordo com números de ontem à tarde (25) é 5.462.447.

“Se queremos impedir que os seres humanos sofram com o próximo surto de doenças infecciosas, precisamos avançar com antecedência para conhecer esses vírus transportados por animais selvagens na natureza e dar alertas precoces”, disse Zhengli à CGTN na entrevista. “Se não forem estudados, possivelmente haverá outro surto”.

O Instituto Wuhan de Virologia estuda o coronavírus há anos. Após a pandemia de Covid-19, surgiram teorias da conspiração, declarando que o laboratório era responsável pelas novas origens do coronavírus. Wang Yanyi, diretor do instituto, chamou essas alegações de “pura fabricação” em uma outra entrevista à CGTN. Tanto o presidente Donald Trump quanto seu secretário de Estado, Mike Pompeo, sugeriram que a Covid-19 esteja ligada ao laboratório de Wuhan. No início deste mês, Pompeo culpou a falta de transparência da China pela morte de centenas de milhares de pessoas em todo o mundo. “Eles sabiam”, disse o político em entrevista coletiva no Departamento de Estado dos Estados Unidos. “A China poderia ter poupado o mundo de uma queda econômica global. O país teve a possibilidade de escolha e encobriu o surto em Wuhan”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).