Wellness e quarentena: veja receitas de sucesso para a rotina de self-care da pele e cabelos

Divulgação
Divulgação

A empresária paulista Renata Souza com a Donata Meirelles

A máscara de proteção provoca erupções na pele. Ficar tanto tempo sem uma visita ao cabeleireiro deixou suas madeixas sem corte, ressecadas, e – o horror! – a tintura venceu. Suas mãos sofrem com o uso contínuo de álcool em gel, enquanto as unhas andam fracas e quebradiças por conta do contato com produtos de limpeza. Coisas que a quarentena e o distanciamento social têm feito com você.

Hora de enviar um SOS beleza e prosseguir com a série sobre wellness em tempos de quarentena. Depois de uma visita à terapia dos florais alquímicos, esta semana ouvi duas autoridades em pele e cabelos: a dermatologista carioca Katleen da Cruz Conceição e a expert em saúde capilar e empresária paulista Renata Souza. Duas mulheres de sucesso cheias de conselhos e dicas para esses dias de nervos à flor da pele e cabelos em pé.

SELF-CARE À FLOR DA PELE COM KATLEEN DA CRUZ CONCEIÇÃO

Luciana Prezia
Luciana Prezia

A dermatologista carioca Katleen da Cruz Conceição

Dona de um sorriso franco e contagiante, a dra. Kat – como é conhecida – tem entre seus pacientes uma série de celebridades do eixo Rio-São Paulo. Porém, prefere, manter a discrição: “Aprendi com meu pai – também dermatologista – a oferecer sempre o melhor tratamento”, resume.

Há 18 anos na profissão, ela se formou no Rio de Janeiro fazendo cursos de especialização e participações em congressos nos Estados Unidos. Ela também conta que aprendeu muito com o trabalho que fez no início da carreira em ambulatórios da periferia do Rio de Janeiro. Na verdade, um trabalho que ela mantém ainda hoje no ambulatório da Santa Casa de Misericórdia, no Centro do Rio, onde atende pacientes de comunidades carentes: “Meu trabalho lá nada tem a ver com estética, mas sim com tratar doenças de pele e, sobretudo, fazer acolhimento e cuidar da autoestima de uma população necessitada de tudo”, faz questão de ressaltar.

No momento, com a população em compasso de distanciamento social, a dra. Kat tem sido muito procurada com todo tipo de ocorrências provocadas por situações de pressão e estresse. “Devido ao uso das máscaras, várias pessoas têm desenvolvido rosácea, que parece acne mas é um tipo de inflamação da pele e pode causar lesões”, informa.

Além disso, chama atenção para as ocorrências frequentes de dermatite nas mãos, resultado do uso exagerado do álcool em gel: “Gente, quem fica dentro de casa não precisa usar a todo momento”, avisa. Segundo ela, basta lavar as mãos e só aplicar o produto desinfetante quando tiver contato com alguma coisa que venha de fora de casa, como compras de supermercado, por exemplo.

7 dicas da Dra. Kat para combater os efeitos da quarentena na pele

– Para descansar a pele do rosto, aplique máscara de argila – negra ou verde – uma vez por semana. Lave com água filtrada;
– Sol: fonte de vitamina D. Peles mais claras devem se expor ao Sol por cerca de 30 minutos, três vezes por semana. Peles mais escuras, cerca de 1h40 minutos, três vezes por semana;
– Filtro solar mesmo dentro de casa: Fundamental e indispensável, para quem se expõe à luz “invisível”, como das telas de computador. Fator 15 é o ideal;
– Unhas ressecadas e quebradiças, por conta do trabalho doméstico pedem aplicação de óleo de coco;
– Receita caseira: Misture um pouco de mel com um pouco de açúcar mascavo para esfoliar cotovelos e joelhos. Indicado para os homens no pós-barba, seguido pela aplicação de um hidratante;
– Alimentação: Importantíssima. Evitar açúcar e frituras. Priorizar carnes brancas (peixe e frango), legumes, verduras e frutas. Sucos, apenas os naturais – fuja dos sucos de caixinhas. Procure evitar a ingestão de cafeína;
– Sobretudo, beba muita água. Dois litros por dia. “Água é vida!”, finaliza a dra. Kat.

UM HOME SPA PARA OS CABELOS COM RENATA SOUZA

Divulgação
Divulgação

A empresária Renata Souza

Enquanto isso em São Paulo, a empresária Renata Souza garante que a curiosidade juvenil a levou a se envolver nos negócios da família, voltados não para um salão de cabeleireiro comum, mas um estabelecimento direcionado à saúde dos cabelos. Uma tradição que remonta ao bisavô de Renata, barbeiro e responsável pela criação de uma loção que combatia a alopécia areata, uma condição capilar popularmente conhecida como “pelada do couro cabeludo”. Aos 16 anos, muito curiosa, ela ousou querer cortar cabelos, o que a família não permitiu – mas ela cortava os cabelos dos amigos e fazia o maior sucesso. Até que finalmente começou a trabalhar oficialmente no salão da família, inclusive cortando cabelos de acordo com as regras da casa.

Hoje, a lado da mãe, Déia Dios, está à frente do Spa Déia e Renata – em São Paulo, Rio de Janeiro e Goiânia – voltado para o tratamento de diversos tipos de cabelos. “Nós ensinamos novos hábitos para nossas clientes, inclusive técnicas de lavagem de cabelos, que elas adotam para o resto da vida”, explica. Uma das marcas registradas do Spa é o bordado, uma técnica exclusiva para remoção de pontas duplas ou ressecadas sem mexer no comprimento, corte ou volume dos cabelos.

8 dicas da Renata Souza para combater os efeitos da quarentena nos cabelos

– Não cortar os cabelos em casa;
– Além da situação estressante do momento, existe a mudança de estação. Os banhos ficam mais quentes, ativam as glândulas sebáceas que deixam o couro cabeludo mais oleoso, com poros mais abertos, propiciando a queda de cabelo. Para neutralizar o PH do couro cabeludo e minimizar a queda, junte dois dedos de vinagre branco de maçã a com dois dedos de água. Aplique no couro cabeludo e enxágue;
– Outra dica para atenuar a queda: chá de alecrim forte e frio. Aplicar no couro cabeludo, deixar agir de 15 a 20 minutos e lavar em seguida;
– Chá de alecrim forte e frio. Aplicar no couro cabeludo, deixar agir de 15 a 20 minutos e lavar em seguida;
– Proteína ou PP Cream – produtos da linha Spa Déia e Renata – a comida dos cabelos. Aplicar cinco dedos longe da raiz. Reduz o frizz e o ressecamento;
– Máscara de semente de uva para cabelos danificados por química;
– Não tingir os cabelos em casa. Opte por um spray corante ou rímel de cabelos;
– Na última enxaguada usar água filtrada ou mineral em temperatura ambiente O melhor conselho, Renata deixa para o final: “A quarentena é também uma ótima oportunidade para deixar os cabelos descansarem do uso de qualquer química”. Palavra da especialista.

Donata Meirelles é consultora de estilo e atua há 30 anos no mundo da moda e do lifestyle

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).