Fujifilm diz que pesquisa com droga contra Covid-19 pode ficar para julho

Reuters
Reuters

Grupos farmacêuticos ao redor do mundo estão correndo para desenvolverem uma vacina para o novo coronavírus

A pesquisa da Fujifilm Holdings sobre o medicamento Avigan como potencial tratamento contra Covid-19 pode se arrastar para julho, afirmou a companhia hoje (7), em um novo revés na corrida da empresa japonesa para encontrar uma vacina para a doença.

“Há uma possibilidade de que os testes clínicos continuem em julho”, disse um porta-voz da Fujifilm respondendo a uma reportagem do Nikkei de que qualquer aprovação será adiada para julho ou depois disso por causa da falta de pacientes para a pesquisa.

VEJA TAMBÉM: Global 2000: as maiores empresas de medicamentos e biotecnologia do mundo

Depois que o governo do premiê Shinzo Abe desistiu de obter aprovação para a droga até o final de maio, a meta era completar os testes clínicos neste mês. Mas pesquisadores conseguiram obter apenas 70% dos pacientes necessários para os testes e como demora 28 dias para se obter resultados, o processo vai continuar até pelo menos julho, publicou o jornal de negócios Nikkei, citando fonte.

Grupos farmacêuticos ao redor do mundo estão correndo para desenvolverem uma vacina para o novo coronavírus, que já infectou quase 7 milhões de pessoas no mundo. As mortos já somam quase 400 mil.

Muitos países estão focados em medicamentos como o antiviral remdesivir, da Gilead Sciences, e alguns estão usando a droga contra malária hidroxicloroquina. O governo de Abe tem defendido o Avigan, desenvolvido no Japão e também conhecido como Favipiravir.

O Japão tem conseguido evitar uma explosão de casos, registrando até o momento cerca de 17 mil infecções, o que, paradoxalmente, torna mais difícil obter pacientes para os testes de medicamentos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo: .

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).