Global 2000: as maiores empresas de medicamentos e biotecnologia do mundo

ReproduçãoForbes
As representantes farmacêuticas e biotecnológicas da lista Global 2000 deste ano geraram US$ 158 bilhões em lucro no ano passado

Embora a maioria das empresas de capital aberto em todo o mundo tenha visto os preços de suas ações despencarem devido à pandemia de coronavírus, a gigante farmacêutica e de bens de consumo Johnson & Johnson viveu uma realidade diferente. Primeira no setor de drogas e biotecnologia e 34ª no Global 2020, a empresa quebrou as expectativas de receita e lucro no primeiro trimestre, graças à maior demanda. A J&J faturou US$ 20,7 bilhões em vendas no último trimestre, com lucros de US$ 2,30 por ação. Em uma divulgação de resultados, a companhia afirmou que as vendas de produtos de consumo como Tylenol e Zyrtec aumentaram quase 10%, uma vez que os consumidores estocaram medicamentos vendidos sem receita para reduzir a febre e outros sintomas associados à Covid-19.

A Johnson & Johnson, que possui um valor de mercado de US$ 387 bilhões, anunciou em março que está na corrida para descoberta da vacina contra o coronavírus e prevê iniciar testes em humanos em setembro deste ano. O diretor científico Paul Stoffels disse à ABC que a empresa pretende entregar 1 bilhão de vacinas no próximo ano. 

LEIA MAIS: Global 2000: as maiores empresas de capital aberto do mundo em 2020

O próximo na categoria de medicamentos e biotecnologia é a Pfizer, número 49 da lista geral e que vale US$ 207 bilhões. A farmacêutica já começou os testes em humanos de uma vacina contra o coronavírus no início deste mês. A Pfizer disse que, se encontrar uma candidata bem-sucedida para o medicamento, poderá produzir milhões de doses até o final de 2020 e centenas de milhões de doses até 2021. Embora a empresa tenha visto suas vendas caírem 8% no primeiro trimestre, ainda superou as expectativas dos analistas.

A terceira da categoria é a companhia de seguros Cigna CI, que ocupa o número 63 na lista geral. Desde o início da crise, a Cigna viu um aumento nos clientes de farmácias (quase 79 milhões no último trimestre, contra 75 milhões no mesmo período do ano passado). A empresa obteve mais de US$ 1,1 bilhão em lucro 

As empresas suíças Novartis (nº 68) e Roche Holding completam os cinco principais nomes da categoria. Juntas, as representantes farmacêuticas e biotecnológicas da lista Global 2000 deste ano geraram US$ 158 bilhões em lucro no ano passado e valem US$ 4,1 trilhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).