Bolsonaro será operado na próxima sexta-feira

Procedimento para retirada de cálculos na bexiga irá ocorrer em São Paulo.

Blog da Redação
Compartilhe esta publicação:
Reuters
Reuters

Segundo Bolsonaro, a pedra está lá há mais de cinco anos e seria maior que o tamanho de um grão de feijão.

Acessibilidade


O presidente Jair Bolsonaro será operado na próxima sexta-feira, em São Paulo, para retirada de um cálculo na bexiga, disse neste domingo um dos médicos do presidente, Leandro Echenique.

Bolsonaro deve ser internado na quinta-feira para fazer os preparativos pré-operatórios. A cirurgia deve acontecer no hospital Vila Nova Star, na capital paulista.

VEJA TAMBÉM:Depois de vetar Renda Brasil, Bolsonaro autoriza relator do Orçamento a criar novo programa social

“Ele será operado na sexta e ficará no hospital até sábado, no mais tardar, até domingo”, disse Echenique à Reuters.

O urologista Miguel Srougi deve ser contatado essa semana para tratar dos detalhes da cirurgia. Ele atua na equipe de Antonio Macedo, um dos médicos do presidente.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“É algo bem mais simples e corriqueiro do que as outras cirurgias”, destacou Echenique.

Bolsonaro, de 65 anos, foi operado quatro vezes após ter sido atacado com uma faca em 2018, durante a campanha eleitoral. Primeiro foi atendido em Juiz de Fora (MG), onde ocorreu o ataque. Depois passou por três intervenções em São Paulo, todas lideradas por Macedo, para desobstrução intestinal, retirada de uma colostomia e correção de uma hérnia.

Nesta semana, Macedo disse à Reuters que exames realizados pelo presidente constataram o cálculo.

“O presidente tem um cálculo na bexiga e isso incomoda por que é um corpo estranho que se mexe”, disse o médico.

E AINDA:Auxílio emergencial será de R$ 300 até final do ano, anuncia Bolsonaro

O próprio Bolsonaro já havia afirmado no mês passado que seria submetido a uma cirurgia para retirada do cálculo na bexiga. Segundo ele, a pedra está lá há mais de cinco anos e seria maior que o tamanho de um grão de feijão.

“A cirurgia não tem nada a ver com a facada, é algo paralelo que pode acontecer com qualquer pessoa”, disse Macedo. “A barriga dele é muito difícil de abrir, soltar intestino e outros órgãos por conta das inúmeras cirurgias… É algo simples que fica um pouco mais delicado pelo histórico, mas ele fez um check up conosco mês passado e a saúde dele está perfeita”, disse.

O período pós-cirúrgico também é considerado simples pelo médico, mas deve exigir um repouso de até cinco dias.

“Vai precisar de um certo resguardo e depois toca a vida. Não dá para ter muitas reuniões e fazer movimentações e deslocamentos. Não precisa ficar de cama, mas não poderá fazer esforço”, concluiu Macedo. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: