Anel do Elvis e gravações de Woodstock se destacam em leilão de Hollywood

Divulgação
Divulgação

O anel de Elvis é descrito como o primeiro de uma série de anéis com as letras TCB

Um anel de ouro e diamante “TCB” usado por Elvis Presley deve ser vendido por mais de US$ 500 mil em um leilão de suvenires em Los Angeles que vai de guitarras de rock a um conjunto de fitas das gravações originais do festival de Woodstock.

O anel de Elvis é descrito como o primeiro de uma série de anéis com as letras TCB (Cuidando Dos Negócios, em inglês) e emblema de raio que o cantor adotou como mantra em 1969.

LEIA MAIS: Pistola usada por Sean Connery como 007 vai a leilão em Hollywood

“É a quintessência das joias de Elvis”, disse Brigitte Kruse, fundadora da casa de leilões GWS Auctions, acrescentando que acredita que o anel pode conseguir entre US$ 500 mil e um milhão no leilão de 300 itens de 28 de novembro.

O lote mais caro pode ser uma coleção de fitas originais do festival de Woodstock de 1969 que ficou guardada durante mais de 10 anos no depósito de um produtor e nunca foi posta à venda.

As mais de 700 horas de gravações, avaliadas de forma independente em US$ 1,6 milhão, incluem apresentações de Jimi Hendrix, Janis Joplin, The Who e dúzias de outros artistas que participaram do que é visto como o pilar da cultura hippie.

Kruse disse que é difícil estimar por quanto as fitas de Woodstock podem ser vendidas. “Não há nada que se compare”, disse. “De vez em quando trombamos com estas peças que são realmente excepcionais e coisas que você nem imaginaria que ainda existem.” (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).