Direitos de imagem, carros de luxo e propriedades: morte de Maradona dispara disputa por herança

Daniel Jayo/Reuters
Daniel Jayo/Reuters

Ícone do futebol mundial, ex-atleta morreu aos 60 anos de um ataque cardíaco na quarta (25)

Após a dor que produziu em todo o mundo, a morte do ícone de futebol argentino Diego Armando Maradona vai disparar um processo judicial complexo pela herança entre sua numerosa família, tendo seus oito filhos de suas várias companheiras como herdeiros de um patrimônio milionário e incalculável.

Maradona, que morreu na quarta-feira (25) de um ataque cardíaco aos 60 anos, teve quatro filhos na Argentina, um na Itália durante sua passagem pelo clube Napoli e três em Cuba quando se instalou na ilha para um tratamento contra seus vícios, de acordo com dados divulgados por seu advogado, Matías Morla.

LEIA MAIS: Messi lamenta a morte de Maradona: “Nos deixa, mas não se vai, porque Diego é eterno”

“No caso pontual de Maradona, ele está divorciado e tem oito filhos. Por isso, o patrimônio se divide por oito em um juízo sucessório”, explicou à Reuters o advogado Martín Apolo, vinculado ao mundo do futebol. “Será um processo complexo”, acrescentou.

O processo pode durar 90 dias no caso de um juízo sucessório normal devido ao prazo legal necessário para que os herdeiros e credores se apresentem, embora “em casos deste tipo possa ser eterno”, disse o advogado, devido à possibilidade de surgirem “oportunistas” e “disputas internas”.

Segundo estimativas de especialistas, o patrimônio do campeão do mundo com a seleção argentina em 1986 seria composto por propriedades, veículos de luxo, investimentos e joias espalhadas pelos países nos quais jogou e treinou durante a carreira: Argentina, Espanha, Itália, Emirados Árabes Unidos, Belarus e México.

LEIA TAMBÉM: A nossa sociedade está doente?

Não há dados oficiais sobre a fortuna de Maradona, embora o site especializado “Celebrity Net Worth” calcule que o astro tenha acumulado uma renda na carreira de dezenas de milhões de dólares entre contratos com as diferentes equipes e patrocínio com marcas como Hublot, Puma e Coca-Cola. No entanto, no momento de sua morte, ele não teria mais de US$ 500 mil, após vários problemas financeiros, de acordo com o site. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).