Trump volta atrás em reconhecimento de vitória de Biden e diz que não admitiu nada

Carlos Barria/Reuters
Carlos Barria/Reuters

“Ele venceu porque a eleição foi fraudada”, tuitou Trump hoje mais cedo

O presidente Donald Trump voltou atrás após aparentemente reconhecer pela primeira vez hoje (15) a vitória de Joe Biden na eleição do dia 3 de novembro nos Estados Unidos, dizendo que não admitiu “nada” e repetindo suas alegações infundadas de fraude eleitoral generalizada.

Biden derrotou Trump ao vencer uma série de Estados cruciais que o republicano havia conquistado em 2016. O ex-vice-presidente democrata também conquistou o voto popular nacional por uma margem de mais de 5,5 milhões de votos, ou 3,6 pontos percentuais.

LEIA MAIS: Negócios de Trump podem se beneficiar de derrota na eleição

Trump fez suas declarações contraditórias em uma série de postagens no Twitter.

“Ele venceu porque a eleição foi fraudada”, escreveu Trump na manhã de hoje, sem se referir a Biden pelo nome. “NÃO FORAM PERMITIDOS OBSERVADORES, o voto foi tabulado por uma empresa privada da esquerda radical, Dominion, que tem má reputação e equipamento ruim e que não poderia nem mesmo se qualificar para apurar o Texas (onde ganhei por muito!), a Fake & Silenciosa Imprensa, & muito mais!”

Cerca de uma hora depois, Trump escreveu: “Ele só venceu aos olhos da MÍDIA FAKE NEWS. Não admito NADA! Temos um longo caminho a percorrer. Esta foi uma ELEIÇÃO FRAUDADA!”

Em entrevista ao programa “Meet the Press”, da “NBC”, o escolhido por Biden para ocupar o cargo de chefe de gabinete da Casa Branca, Ron Klain, disse: “O Twitter de Donald Trump não torna Joe Biden presidente ou não-presidente. O povo americano fez isso.”

A equipe eleitoral de Trump tem entrado com ações legais que buscam anular os resultados em vários Estados, embora sem sucesso, e especialistas jurídicos argumentam que a manobra legal tem poucas chances de alterar o resultado da eleição.

Autoridades eleitorais de ambos os partidos disseram que não há evidências de grandes irregularidades. Democratas e outros críticos acusaram Trump de tentar deslegitimar a vitória de Biden e minar a confiança do público no processo eleitoral norte-americano.

Antes da eleição, Trump se recusou a se comprometer com uma transferência pacífica de poder.

A recusa de Trump em ceder não muda o fato de Biden ser o presidente eleito, mas paralisou o costumeiro processo de transição para uma nova administração presidencial.

A decisão da administração Trump em não reconhecer Biden como o vencedor tem impedido que Biden e sua equipe obtenham acesso a escritórios governamentais e ao financiamento normalmente concedido a um novo governo para garantir uma transição tranquila. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).