A melhor versão do seu currículo

Está em suas mãos a construção da sensação de missão cumprida e o entendimento de que o seu dia a dia de trabalho foi preenchido de significado.

João Branco
Compartilhe esta publicação:
insta_photos/Getty Images
insta_photos/Getty Images

O currículo que você vai usar para conseguir outro emprego deve continuar sendo feito da forma como os entrevistadores esperam. Mas isso não é o real resumo da sua carreira

Acessibilidade


O seu currículo é bom? Para a maioria das pessoas, conseguir um novo emprego passa por ter esse “documento mágico”. Uma folha de papel que resume o seu potencial. Um passaporte para o mundo das pessoas contratadas. Uma declaração sobre quantas “medalhas” você já recebeu na vida, quão rápido você conseguiu ser promovido, quantos aplausos acha que merece.

Pela quantidade de gente que vende serviços de assessoria para isso, imagino que fazer um bom CV seja visto como uma tarefa chata. Se você teve que atualizar o seu recentemente, sabe do que estou falando.

LEIA TAMBÉM: A coisa mais importante a fazer antes de começar a trabalhar

A sensação de ter que colocar em uma página algo que resuma a sua carreira pode ser muito incômoda. Não estou apenas falando sobre as dúvidas de formatação. Nem da escolha das melhores palavras. O ponto é que, quando escrevemos, em poucas linhas, o que fizemos naquelas muitas horas em que passamos trabalhando, “cai uma ficha”. É como fazer um balanço geral da sua profissão.

Você trabalhou por 10 anos em uma empresa e naquela folhinha você coloca 5 parágrafos com atividades que realizou e resultados que alcançou. E, de repente, percebe que gastou 10% de toda a sua vida fazendo aquilo. Esse é o seu resumo. Repito: esse é o seu resumo – ou “resumé”, como alguns chamam esse arquivo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

É nesse momento que toca um sininho que temos escondido no cérebro e que nos faz lembrar que um dia todos vamos parar de trabalhar. Seja por opção ou não, vai chegar a hora em que nossas botas serão penduradas. E daí para frente, ficaremos apenas lembrando de como foi a experiência de ter trabalhado. No dia que isso acontecer, qual é o currículo que você gostaria de ter construído? Qual é o real resumo que você gostaria de ter da sua carreira?

A essas alturas já não precisaremos mais impressionar ninguém. Não será mais necessário embelezar as conquistas. Nem usar adjetivos especiais. Só vamos querer uma coisa: estar contentes com as nossas memórias.

Quem está buscando um primeiro emprego normalmente fica envergonhado por ter um currículo muito vazio. É um sentimento forte de que aquela folha deveria estar mais completa, com coisas importantes.

Ouso dizer que há pessoas que trabalharam 50 anos e que, ao olhar para o seu histórico, ficam com a mesma sensação. O currículo está cheio de promoções, conquistas e cursos. Mas o seu resumo deveria estar mais completo, com coisas que realmente importam.

O arquivo que você vai usar para conseguir outro emprego deve continuar sendo feito da forma como os entrevistadores esperam. Mas isso não é o real resumo da sua carreira.

Está em suas mãos a construção da sensação de missão cumprida, o sentimento de que valeu a pena e o entendimento de que o seu dia a dia de trabalho foi preenchido de significado. Esse é o verdadeiro legado que você está construindo. Essa é a versão mais importante do seu currículo. Vamos caprichar nela!

João Branco é o CMO do McDonald’s no Brasil e lidera o talentoso time que está batendo todos os recordes da história do Big Mac. Presença constante nos rankings dos profissionais de Marketing mais reconhecidos do Brasil, João estudou em algumas das melhores universidades do mundo, mas aprendeu no “Méqui” o que nenhuma aula teórica foi capaz de ensinar: que o resultado sempre vem quando o consumidor ama muito tudo isso. João já foi presidente da ABA e duas vezes palestrante TEDx. É um dos marketeiros brasileiros mais influentes – seus textos são lidos por mais de 1 milhão de pessoas todos os meses. Linkedin/Instagram: @falajoaobranco

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: