Networking: quando bons relacionamentos trazem bons negócios

Atividade deve ganhar importância muito cedo pois proporciona ao empreendedor e às iniciativas um contato valioso com pessoas e empresas de setores e atuações diferentes, que ajudarão a desenvolver e orientar cada decisão no presente e no futuro.

Vitor Magnani
Compartilhe esta publicação:
skynesher/Getty Images
skynesher/Getty Images

Um desses contatos conquistados durante o networking pode fazer toda a diferença em algum estágio do negócio. A ideia é plantar hoje para colher no futuro

Acessibilidade


Em toda história de uma startup de sucesso, um dos capítulos mais importantes é o do networking. Essa é uma atividade que deve ganhar importância muito cedo, para que o sucesso não tarde. Ela vai proporcionar ao empreendedor e às iniciativas um contato valioso com pessoas e empresas de setores e atuações diferentes, que ajudarão a desenvolver e orientar cada decisão no presente e no futuro. A pesquisadora Saras Sarasvathy, que estudou os pontos comuns em startups bem-sucedidas, conta que estar em boa companhia é um dos pilares para a criação de oportunidades no caminho do empreendedor. Ela garante que ninguém chega muito longe sozinho. Sua recomendação é buscar parceiros, ativar a rede de relacionamentos e juntar-se a pessoas com habilidades e conhecimentos complementares aos nossos – aquelas cujas competências nos faltam, e que nos ajudam a responder perguntas como:

  • Que tipos de parceiros devo ter?
  • Qual o perfil ideal de um possível sócio?
  • Quais são meus gaps (lacunas e incompletudes) e como supri-los?

Uma dessas pessoas poderá ser um mentor – alguém com experiência no mesmo segmento em que você está ou no setor onde você deseja empreender. O mentoring será como uma espécie de tutoria, na qual um profissional mais experiente orienta e compartilha conhecimentos para auxiliar nas decisões. Hoje, a tecnologia ajuda muito a encontrar gente com essa competência e a ampliar nosso networking. No Brasil, cerca de 25 milhões de pessoas já possuem perfis no LinkedIn. Mas criar o networking é sempre muito mais do que apenas adicionar contatos na rede. É preciso agendar conversas e ouvir muito. E sempre falar com pessoas dos mais diferentes tipos e setores. Um desses contatos pode fazer toda a diferença em algum estágio do negócio. Na fase da busca dos investidores, por exemplo. A ideia é plantar hoje para colher no futuro.

Ivan Misner, fundador e presidente da BNI (Business Network International), diz que networking é “o processo de desenvolvimento e ativação de seus relacionamentos para auxiliar o crescimento de seus negócios, aumentar seus conhecimentos e expandir suas influências”.

David Velez, CEO e fundador do Nubank, conta que sabia que precisaria de sócios para ajudá-lo no desenvolvimento da empresa quando decidiu abri-la. Para isso, pediu indicações aos amigos, colegas e conhecidos, além de acionar toda a sua rede para procurar profissionais. “O networking é fundamental para buscar pessoas que acreditem na sua ideia”, afirma Telma Mantovani, diretora de transição de carreira da Stato, consultoria de recursos humanos. Ela aponta três estratégias para ampliar e manter uma rede de contatos efetiva:

1. Preste atenção na forma de se aproximar

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A aproximação nunca deve ser a mesma, porque o networking abrange três tipos de relacionamento:

  • De primeiro nível (pessoas realmente próximas) – a abordagem pode ser informal, valendo mensagem, telefonema e até happy hour
  • De segundo nível (profissionais não muito próximos) – abordagem mais formal, pode ser um e-mail convidando para um café ou almoço
  • De terceiro nível (pessoas que não se conhece) – melhor verificar se há algum contato que possa fazer a apresentação. Caso contrário, um e-mail educado e sucinto resolverá.

2. Cuidado com o ego

Aposte em uma abordagem mostrando que seu objetivo é compartilhar, não competir. Uma boa maneira de fazer isso é explicando de que maneira o profissional pode te ajudar.

3. Networking não é só falar de negócios

Sim, você pode falar sobre amenidades, mercado de trabalho, estresses do dia a dia, cursos e treinamentos. Negócios podem surgir também de uma conversa agradável.

Por fim, deixo algumas dicas para começar a estabelecer um networking efetivo:

  • Tenha sempre com você as ferramentas apropriadas para o networking, incluindo cartões de visita (virtuais ou físicos) e o conhecimento sobre quem pretende encontrar;
  • Estabeleça uma meta de quantas pessoas pretende encontrar por período;
  • Aja sempre como anfitrião, nunca como convidado;
  • Escute e faça perguntas: em um bom networking, é importante fazer as duas coisas;
  • Não tente fechar negócio: nem todo encontro é uma possibilidade de vender;
  • Faça indicações, recomendações: as pessoas de melhor networking acreditam na filosofia de oferecer de informações;
  • Gerencie o tempo: tenha cuidado em não permanecer tempo demais com apenas uma pessoa;
  • Dê continuidade aos contatos: se não, só terá perdido tempo.

Vitor Magnani é presidente da Associação Brasileira Online to Offline (ABO2O) e do Conselho de Comércio Eletrônico da Fecomercio/SP. Professor da FIA e especialista em Relações Institucionais e Governamentais para ecossistemas inovadores.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Compartilhe esta publicação: