O paradoxo de marcar presença sem estar presente

O futuro apresenta um modelo de trabalho cada vez mais híbrido e os líderes precisam aprender a inspirar confiança e clareza por meios digitais.

Federico Grosso
Compartilhe esta publicação:
Maskot/Getty Images
Maskot/Getty Images

Caminhamos a passos largos para estarmos todos hiperconectados, adotando um modelo de trabalho híbrido, o que pode ser um desafio para lideranças mais maduras e não nativas digitais

Acessibilidade


Com origem do latim “præsentĭa”, a palavra “presença” ou “presenza”, em italiano – meu idioma nativo – tem como um dos seus significados comparecer a um lugar físico. Porém, nesses pouco mais de 500 dias de pandemia, tenho me desdobrado para descobrir como estar presente a distância e continuar falando a mesma língua do meu time latino-americano. Enquanto líder eu me pergunto: como posso continuar presente para uma equipe que está remota?

Mesmo em um momento pós-pandemia, acredito que o modelo de trabalho híbrido e flexível deve continuar. Logo, manter-se presente digitalmente para toda a equipe também será importante na liderança de estratégias bem-sucedidas no longo prazo. O futurista do Institute for the Future do Vale do Silício, Bob Johansen, listou em sua obra “The New Leadership Literacies: Thriving in a Future of Extreme Disruption and Distributed Everything” (“A Literatura das Novas Lideranças: Prosperar Em Um Futuro de Extrema Disrupção e Distribuição de Tudo”, em tradução livre) algumas habilidades essenciais para os líderes do futuro e inspirar confiança e clareza por meios digitais é uma delas. Em alguns anos, penso que uma boa liderança virtual será mais importante do que a presencial.

LEIA TAMBÉM: O trabalho é bem mais que um lugar

No entanto, para líderes com mais de 20 ou 30 anos de carreira, utilizar os meios digitais para gerenciar uma equipe remota pode ser um desafio e tanto. Ao contrário das novas gerações de executivos, que são nativos digitais e interagem o tempo todo no mundo online e, portanto, estão mais preparados para o futuro, quando a sociedade será ainda mais conectada. Sim, caminhamos a passos largos para estarmos todos hiperconectados. Não tem mais volta.

Felizmente, o mercado de trabalho está cada vez mais diverso e multigeracional. Nunca tivemos tantas gerações convivendo em um mesmo ambiente de trabalho. Com isso, há uma grande janela de oportunidades para os líderes aprenderem com seus colegas mais jovens. É o que Johansen chama de “mentoria reversa”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Particularmente, prefiro o conceito de mentoria 360º, em que todos podem ser mentores de qualquer pessoa, em sua área de especialização. Ou, simplesmente, estabelecer uma troca de experiências mútua e saudável, independentemente do nível hierárquico ou área. Assim, os silos entrarão em colapso e os rótulos desaparecerão, enquanto o aprendizado e a colaboração crescerão. O resultado? Trabalharemos melhor juntos.

Em contrapartida, algo que nós, líderes mais experientes, podemos ajudar outros colegas é a reduzir as distrações, aumentando o foco no preparo e no aprendizado profundo em tarefas que são importantes, como reuniões e apresentações. Afinal, estar presente, mesmo que por uma tela, é estar focado e pronto para agir com inteligência no momento em que for necessário.

Ao contrário do que pensamos, nosso cérebro não é “multitarefa” – o “multitasking” é inimigo do foco. Você se preparar para uma reunião ainda é evitar que o outro lado desperdice tempo e energia em uma conversa que poderia ser mais produtiva.

Para um líder, estar realmente “presente” – ainda que virtualmente – para sua equipe significa garantir a integração, incentivar as trocas de aprendizados e até detectar como os colaboradores estão se sentindo e, assim, tomar decisões rápidas e efetivas para apoiar cada um quando for necessário. Somente com um time unido a liderança consegue ser bem-sucedida e preparar do jeito certo a empresa e suas pessoas para as transformações que não param de acontecer.

Federico Grosso é general manager da Adobe para América Latina.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: