Apresentado por       

IBGE mostra impacto do isolamento no setor de serviços

Com boa parte das cidades adotando medidas de restrição durante a metade do mês de março, segmento recua 6,9%.

Gustavo Cruz, colaborador da marca
Apresentado por       
Compartilhe esta publicação:
Tomaz Silva/Agência Brasil
Tomaz Silva/Agência Brasil

Setor de hotéis e restaurantes, fechados para conter a disseminação do vírus, teve pior resultado

Acessibilidade


A pesquisa mensal de serviços do IBGE apontou que, durante o mês de março, o volume caiu 6,9%. Essa é a pior marca da série iniciada no começo de 2011. A explicação não é nenhuma surpresa: a retração é consequência das medidas de isolamento social adotadas para conter o avanço do contágio da Covid-19.

A instituição divide o levantamento em cinco áreas – e todas elas registraram queda, com destaque negativo para os serviços prestados às famílias (-31,2%). Exemplos dessa categoria são hotéis e restaurantes, que tiveram que ser fechados para conter a disseminação do vírus.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Outra categoria afetada foi a que engloba transportes, serviços auxiliares aos transportes e Correio (-9%). Nessa também temos exemplos claros da queda de demanda, principalmente se levarmos em conta a situação enfrentada pelas companhias aéreas e algumas empresas de transporte rodoviário coletivo de passageiros.

Regionalmente, 24 das 27 unidades da federação também tiveram resultados negativos em março, na comparação com fevereiro, com destaque para São Paulo (-6,2%) e Rio de Janeiro (-9,2%). Infelizmente, são as regiões que justamente estão registrando os maiores problemas de saúde. Os únicos impactos positivos vieram do Amazonas (1,9%), de Rondônia (3,1%) e do Maranhão (1,1%).

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Para abril, o indicador deve agravar o recuo, já que o mês teve mais dias de paralisação.

Vale destacar, finalmente, que a atividade brasileira está se contraindo em um ritmo acima do esperado. Isso traz consequências tanto em termos de inflação mais baixa, quanto na queda da arrecadação de impostos. O médio prazo está cada vez mais arriscado no país, explicando em parte o movimento das plataformas de sugerir investimentos com exposição ao exterior.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: