Ibovespa descola de NY e fecha acima de 83 mil pontos com trégua na cena política

ReutersConnect/Paulo Whitaker
ReutersConnect/Paulo Whitaker

O tom mais amistoso do encontro entre presidente e governadores contribuiu para resultado positivo do Ibovespa

O Ibovespa subiu mais de 2% hoje (21), acima dos 83 mil pontos pela primeira vez desde o fim de abril, com o desfecho de reunião entre o presidente Jair Bolsonaro e governadores agradando, em meio a um ambiente ainda volátil nos mercados por causa da pandemia de Covid-19.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa fechou em alta de 2,1%, a 83.027,09 pontos. Na máxima da sessão, chegou a 83.308,96 pontos. O volume financeiro somou R$ 27,7 bilhões.

Em reunião com Bolsonaro, a maioria dos 27 governadores pediu o veto à possibilidade de reajuste salarial a categorias de servidores públicos, corroborando a intenção do governo federal de não manter a autorização aprovada pelo Congresso, enquanto o presidente disse que pretende sancionar a ajuda a Estados e municípios o mais breve possível.

LEIA MAIS: Brasil zera imposto de importação para bens de informática e de telecomunicações

O reajuste encontrava resistência na equipe econômica liderada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em meio a preocupações de mais um fator de pressão nas contas públicas.

O tom mais amistoso do encontro também repercutiu positivamente, com os governadores e os presidentes da Câmara e do Senado fazendo questão de ressaltar a necessidade de uma atuação conjunta de todos.

“Não é possível dizer que a partir daí teremos calmaria nas relações entre o presidente e o Congresso, ou mesmo entre o presidente e governadores, porque os interesses divergentes entre eles permanecem. Mas se trata de ter aberto canais de diálogo, que se forem usados podem controlar melhor os problemas futuros”, ressaltou a equipe da XP Política a clientes.

O pregão também teve como pano de fundo relatório do Goldman Sachs apontando que a América Latina oferece o maior valor entre ações de mercados emergentes, com a bolsa paulista sendo provavelmente a melhor candidata à recuperação.

LEIA TAMBÉM: Dados de PMI sugerem cenário menos crítico

“As ações brasileiras em dólares têm sido o ativo com o pior desempenho em meio ao ‘sell-off’ de mercados emergentes, e recomendamos a investidores que comprem Bovespa”, afirmaram os estrategistas, citando entre os fatores espaço de recuperação no mercado brasileiro com a melhora do risco global e relacionamento historicamente próximo com preços de commodities.

No exterior, Wall Street fechou no vermelho, conforme tensões comerciais entre Estados Unidos e China e resultados divergentes de varejistas, além de dados econômicos, trouxeram receios sobre o ritmo de recuperação das economias afetadas pelo coronavírus. O S&P 500 caiu 0,78%. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).