Mercado se apega a noticiário positivo e Ibovespa sobe

ReutersConnect/Amanda Perobelli
O clima externo mais otimista em relação a reabertura e recuperação das economias contribuiu para bom resultado do Ibovespa

O Ibovespa fechou em alta hoje (20), embalado pelo clima externo mais otimista em relação a reabertura e recuperação das economias, que vêm sendo duramente afetadas pela pandemia de Covid-19, com as ações de companhias aéreas liderando os ganhos.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,71%, a 81.319,45 pontos, tendo superado os 82 mil pontos novamente no melhor momento. O volume financeiro totalizou R$ 22,5 bilhões.

LEIA MAIS: Lenovo tem lucro acima de estimativas, vê crescimento com trabalho remoto

Tal desempenho reflete o quão volátil permanece a bolsa, que, ontem (19), o fechou em baixa de 0,56%, um dia depois de registrar a maior alta percentual diária para fechamento em seis semanas.

Em Wall Street, o S&P 500 avançou 1,67%, conforme investidores voltaram a apostar em uma rápida recuperação econômica após paralisações causadas pelo coronavírus e no potencial de mais medidas de estímulo do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos).

Na visão do gestor Werner Roger, da Trígono Capital, o mercado parece querer se apegar em notícias como vacinas, redução no número de mortes, inflexão na curva de infectados, retomada da atividade em alguns países, diminuição nas restrições de mobilidade e esforço conjunto dos governos, bancos centrais e formuladores de políticas econômicas.

“No entanto, o tom ameaçador de Donald Trump sobre a China é sempre preocupante. O petróleo se recupera, mas muitas empresas vão sofrer muito, algumas desaparecer, empregos perdidos, recessão em quase todos os países. Mas parece que os mercados se apoiam mais nas boas notícias ou na fé de que a situação vai melhorar.”

LEIA TAMBÉM: Banco Mundial nomeia professora de Harvard como economista-chefe

Outro fator que corrobora compras de ações também, segundo Roger, é que não sobram muitas opções de investimentos “pois os juros permanecerão baixos por muito tempo, sem pressões inflacionárias e trilhões de dólares despejados pelos bancos centrais e tesouro inundando o mercado com liquidez”. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).