Apresentado por       

Xiaomi tem aumento nas vendas do 1° trimestre

Empresa atribui resultado à recuperação da demanda por smartphones.

Redação
Apresentado por       
Compartilhe esta publicação:
ReutersRafael-Marchante
ReutersRafael-Marchante

A empresa atribuiu o salto ao aumento de preços de seus telefones 5G recém-lançados na China

Acessibilidade


A Xiaomi divulgou hoje (20) um aumento de 13,6% na receita do primeiro trimestre, superando as estimativas, já que a fabricante chinesa de smartphones vendeu mais telefones e se beneficiou das vendas de seus modelos 5G mais caros.

A empresa conseguiu aumentar as vendas, apesar do impacto do coronavírus, que abalou as cadeias de fornecimento e reduziu a demanda geral por smartphones.

LEIA MAIS: Metade da capacidade industrial fica ociosa em abril

“Nossa produção na China continental foi amplamente retomada e a demanda por smartphones se recuperou rapidamente”, afirmou a empresa em seu comunicado de resultados do primeiro trimestre.

As vendas no trimestre subiram para 49,7 bilhões de iuanes (US$ 7 bilhões), de 43,76 bilhões de iuanes no mesmo período do ano anterior, superando as expectativas dos analistas de 47,86 bilhões de iuanes.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A empresa atribuiu o salto ao aumento de preços de seus telefones 5G recém-lançados na China, bem como ao aumento das vendas no exterior.

Os lucros caíram cerca de um terço devido a uma queda no valor dos investimentos da Xiaomi em outras empresas.

A empresa obtém a maior parte de sua receita com a venda de aparelhos celulares, mas também ganha dinheiro com a venda de anúncios online e outros tipos de hardware de consumo.

Os envios da Xiaomi para os consumidores chineses no primeiro trimestre caíram mais de 25% em relação ao ano anterior, disse a empresa de pesquisa de mercado Canalys, em comparação com uma queda de 18% nas vendas gerais de smartphones no país. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: