Lucro da Ambev desaba 51,4% no 2º trimestre com pandemia

Reprodução
Reprodução

Ambev informou que seu lucro líquido caiu pela metade no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado

A Ambev informou hoje (30) que seu lucro líquido caiu pela metade no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, com as vendas e volumes afetados pela pandemia do coronavírus e despesas financeiras maiores.

A subsidiária brasileira da Anheuser Busch InBev lucrou R$ 1,27 bilhão entre abril e junho, de acordo com o balanço, queda de 51,4% na comparação anual, conforme medidas de isolamento social alteraram as dinâmicas de consumo de bebidas.

LEIA MAIS: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

O desempenho operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado recuou 28,6% para R$ 3,35 bilhões, com a margem Ebitda ajustada caindo para 28,8% ante 38,6% no segundo trimestre de 2019.

“O impacto total da pandemia da Covid-19 em nossos resultados futuros permanece incerto”, disse a Ambev no comunicado.

A fabricante de bebidas citou expectativa de recuperação operacional mais lenta em função de mudanças no mix de embalagens e canais de vendas, além de contínuas pressões de custo atreladas à desvalorização cambial e o impacto da crise na renda das famílias.

No segundo trimestre, a receita líquida encolheu 4,4% ano a ano, para R$ 11,6 bilhões, enquanto os volumes caíram 9,2% para 33,5 milhões de hectolitros.

Já o custo total de produtos vendidos atingiu R$ 5,8 bilhões, alta de 16,9% sobre um ano antes, puxado pela inflação na Argentina, oscilações cambiais desfavoráveis e mudanças no mix de embalagens.

LEIA MAIS: Por que a perda de US$ 8 bilhões nos últimos 2 dias na fortuna de Jeff Bezos não significa muito

A linha de despesas financeiras subiu quase 40% no período, enquanto os gastos gerais, com vendas e administrativos subiram apenas 1%.

A AmBev, na qual a AB InBev detém 61,9% de participação, está presente em 16 países nas Américas, incluindo Canadá e Argentina.

As ações da Ambev negociadas na bolsa paulista recuaram mais de 18% até agora em 2020, após alta de 24,6% em 2019. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).