Vendas globais do McDonald’s sofrem com pandemia limitando operações

Reprodução
Reprodução

McDonald’s divulgou uma queda de mais de 20% nas vendas globais de mesmas lojas, com o lucro ficando abaixo das expectativas

O McDonald’s divulgou hoje (28) uma queda de mais de 20% nas vendas globais de mesmas lojas, com o lucro ficando abaixo das expectativas, em meio ao fechamento de suas lojas por causa da pandemia de Covid-19, que limitou as operações a apenas ‘drive-thru’ e entregas.

As vendas globais de mesmas lojas caíram 23,9% no segundo trimestre, arrastadas pelos grandes mercados internacionais, incluindo Reino Unido, França e América Latina. Analistas previam uma queda de 23,24%, segundo dados da Refinitiv.

LEIA MAIS: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

Nos Estados Unidos, onde está mais de um terço de suas lojas, as vendas caíram 8,7%, mas foram melhores do que a queda prevista de 9,97%, já que a maioria dos locais conseguiu permanecer aberta com opções de ‘drive-thru’ e entrega.

“Nossa forte presença no ‘drive-thru’ e os investimentos que fizemos nas áreas digital e de entregas nos últimos anos nos serviram bem nesses tempos de incerteza”, disse o presidente-executivo, Chris Kempczinski.

A empresa informou que 96% de seus restaurantes estavam operando com ‘drive-thru’, entrega ou capacidade reduzida.

A receita caiu 30,5%, para US$ 3,76 bilhões, mas superou a estimativa de US$ 3,68 bilhões.

O lucro líquido caiu 68%, para US$ 483,8 milhões. Excluindo itens únicos, o McDonald’s teve lucro de US$ 0,66 por ação, US$ 0,08 abaixo das expectativas.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).