Preocupações com proibição do WeChat devem ofuscar resultado da Tencent

VCG/Getty Images
VCG/Getty Images

As ações da Tencent despencaram mais de 10% em poucas horas na sexta-feira (7) após a notícia da proibição

A Tencent estará sob pressão para abordar as preocupações relacionadas ao impacto da proibição norte-americana de transações relacionadas ao WeChat e deve delinear seus planos para mitigar possíveis consequências, uma vez que divulga seus resultados do segundo trimestre amanhã (12).

A proibição, que entrará em vigor em setembro e é o último episódio do cada vez pior conflito entre EUA e China, lançou uma sombra sobre a Tencent, que pretende obter eventualmente cerca de metade de sua receita de jogos do exterior, contra 23% no ano passado. Os Estados Unidos seriam essenciais para tal plano, pois são o segundo maior mercado de jogos do mundo, depois da China.

LEIA MAIS: Trump proíbe WeChat e TikTok nos Estados Unidos

As ações da Tencent despencaram mais de 10% em poucas horas na sexta-feira (7) após a notícia da proibição, tirando até US$ 74 bilhões do valor de mercado da gigante da tecnologia.

“O pedido, conforme redigido, é tão amplo que pode acabar bloqueando a capacidade de qualquer pessoa ou empresa norte-americana de trabalhar com a Tencent”, disse Dan Wang, analista da Gavekal Dragonomics.

Até agora, a maior empresa de jogos e mídia social da Ásia disse que está analisando as possíveis consequências. Os mercados financeiros e milhões de consumidores buscarão mais clareza quando a Tencent divulgar seus resultados do trimestre encerrado em junho.

A Tencent deve registrar um salto de 27% na receita para 112,76 bilhões de iuanes (US$ 16,22 bilhões) e um lucro 14% maior, mostram dados da Refinitiv.

Sua subsidiária Tencent Music, listada nos EUA, reportou resultados trimestrais melhores do que o esperado.

A unidade disse que é “prematuro” especular sobre um potencial fechamento de capital, quando questionada sobre se tem um plano para reagir a uma recomendação do governo Trump sobre a auditoria de empresas chinesas listadas nos EUA.

VEJA TAMBÉM: Tencent lança novo estúdio de games nos EUA em expansão global

A empresa não comentou a proibição do WeChat.

Não ficou claro se a sanção afetaria outras participações norte-americanas da Tencent, que recentemente abriu dois estúdios em Los Angeles com o objetivo de criar conteúdo com propriedade intelectual original que tenha apelo global. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).