BC atualiza regulamento do Pix com mais opções para usuários

Entre as novidades, estão o "Pix Cobrança" e a integração aos recebedores, como lojistas e empresas.

Redação
Compartilhe esta publicação:

 SOPA Images/Getty Images

Acessibilidade


O Banco Central aprovou novas funcionalidades para ampliar os casos de uso do sistema de pagamento instantâneo, Pix, informou hoje (29) a autoridade monetária.

Entre as novidades, estão o “Pix Cobrança” e a integração aos usuários recebedores, como lojistas e empresas, por meio de padronização da infraestrutura de acesso ao Pix, informou o BC.

LEIA MAIS: Venus Williams dá dicas para empreendedores enfrentarem a pandemia

No Pix Cobrança, lojistas, fornecedores, prestadores de serviço poderão emitir um QR Code para pagamentos imediatos, em pontos de venda ou comércio eletrônico, ou cobranças com vencimento em data futura, afirmou o BC. Neste caso, é possível configurar outras informações além do valor, como juros, multa, descontos. “É uma funcionalidade parecida com o que ocorre com boleto”, disse o BC.

Já a padronização da infraestrutura de acesso aos desenvolvedores de soluções para o PIX evita que o empresário fique preso a uma instituição financeira devido aos custos de mudar para outra que tenha uma API diferente.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A API Pix contempla funcionalidades de criação e gestão de cobranças, verificação de liquidação, conciliação e suporte a processos de devolução, afirmou o BC.

O regulador afirmou ainda que os participantes do Pix estão sujeitos a multas e outras penalidades em caso de infrações. As multas variam de R$ 50 mil a R$ 1 milhão, podendo variar conforme a capacidade econômica do infrator e o percentual de sua participação no total das transações do arranjo. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: