BC diz que pode reavaliar orientação futura se houver piora do cenário fiscal

Alterações de política fiscal que comprometeriam a âncora fiscal motivariam uma reavaliação da sua orientação futura

Redação
Compartilhe esta publicação:
Adriano Machado / Reuters
Adriano Machado / Reuters

Alterações de política fiscal que comprometeriam a âncora fiscal motivariam uma reavaliação da sua orientação futura

Acessibilidade


O Banco Central indicou hoje (03) que alterações de política fiscal que afetem a trajetória da dívida pública ou comprometam a âncora fiscal motivariam uma reavaliação da sua orientação futura (forward guidance), ainda que o regime do teto de gastos esteja nominalmente mantido.

A frase consta em ata do Comitê de Política Monetária (Copom) divulgada hoje. Pelo forward guidance, o BC condicionou a não elevação da Selic (atualmente em 2% ao ano) a algumas questões, entre elas a manutenção do regime fiscal.

Quando manteve os juros básicos na semana passada em sua mínima histórica de 2,0%, o BC repetiu que “o espaço remanescente para utilização da política monetária, se houver, deve ser pequeno”.

Na ata, a autoridade monetária buscou esclarecer que esta é uma sinalização que “está ligada às restrições de caráter prudencial para movimentos de redução da taxa básica de juros e, portanto, precisa ser mantida na comunicação”. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Compartilhe esta publicação: