De Ana Botín a Anne Finucane, elas são as mulheres mais poderosas das finanças em 2020

Lista é composta por executivas dos maiores bancos e instituições financeiras do mundo.

Samantha Todd
Compartilhe esta publicação:
Roy Rochlin/GettyImages
Roy Rochlin/GettyImages

Stacey Cunningham, presidente da NYSE

Acessibilidade


Liderar em uma crise econômica e de saúde global não é tarefa fácil, mas os eventos deste ano não atrapalharam as 100 pioneiras que compõem a lista das Mulheres Mais Poderosas de 2020 da Forbes. Entre elas, treze executivas estão à frente de alguns dos maiores bancos e instituições financeiras do mundo.

Ana Botín, presidente-executiva da multinacional espanhola de serviços financeiros, o Banco Santander, exerce esta função desde 2014 e é a mulher mais poderosa nas finanças. A pandemia tem sido a prioridade de Botín, que em março optou por abrir mão de 50% de sua remuneração anual para lançar o Fundo de Solidariedade Juntos, do Banco Santander, utilizado para fornecer equipamentos e materiais médicos a sistemas de saúde no combate à covid-19.

“Nosso mundo não retornará a uma existência pré coronavírus, precisamos pensar rápido e pensar grande”, escreveu Botín no Financial Times em abril. No mesmo mês, a executiva foi uma das doze pessoas nomeadas para o novo conselho consultivo do Fundo Monetário Internacional (FMI). O conselho foi criado para lidar com questões financeiras, incluindo aquelas causadas pela pandemia.

Outra mulher que tem sido uma força motriz de mudança em meio à pandemia é Anne Finucane, vice-presidente do Bank of America, e oitava mulher mais poderosa em finanças. Sob sua liderança, o banco expandiu seus esforços filantrópicos, comprometendo US$ 100 milhões em doações para aumentar o acesso a alimentos e suprimentos médicos, além de US$ 250 milhões em doação anual para a filantropia. “À medida que navegamos coletivamente nesta crise de saúde e humanitária, reconhecemos que o setor privado pode desempenhar um papel central para ajudar as comunidades necessitadas”, disse Anne. No início deste ano, o Bank of America anunciou US$ 1 bilhão para promoção da igualdade racial e de oportunidades econômicas nos próximos quatro anos.

Nenhuma empresa ficou imune aos efeitos da pandemia. Jessica Tan, coCEO e diretora executiva do Ping An Group, voltou-se à aceleração digital. Em 2013, ela assumiu a função de CIO na gigante de seguros chinesa – que tem mais de 210 milhões de clientes de varejo e 560 milhões de usuários online – uma das maiores empresas de serviços financeiros do mundo, antes de ser promovida em 2018 ao cargo mais alto da companhia. Durante sua gestão, Jessica que ocupa o terceiro lugar entre as mulheres mais poderosas em finanças, liderou iniciativas como a plataforma de telemedicina Good Doctor, que possui quase 350 milhões de usuários na China. “A covid-19 acelerou a digitalização até mesmo para nós que sempre estivemos na vanguarda deste processo”, disse Tan, recentemente.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Embora todas as mulheres na lista deste ano tenham quebrado barreiras, algumas também fizeram história, como Jane Fraser, presidente do Citigroup e CEO de Global Consumer Banking da gigante em serviços financeiros, que sucederá o executivo Michael Corbat como CEO do grupo em fevereiro de 2021. Jane é primeira mulher a atuar como executiva-chefe do Citi, além de ter sido a primeira a chefiar um grande banco de Wall Street.

Com apenas um em cada cinco líderes de negócios mulheres, de acordo com um relatório da McKinsey, a nomeação de Jane é particularmente notável. Suas funções como copresidente do Citi Women Affinity Group e chefe de Gerenciamento de Crises na América do Norte para a covid-19 solidificaram ainda mais sua posição como a quarta mulher mais poderosa em finanças.

Das treze mulheres do setor financeiro, apenas uma é recém-chegada ao ranking: Mellody Hobson, coCEO da empresa de gestão de recursos Ariel Investments. Em sua função, Mellody é responsável pela gestão, planejamento estratégico e crescimento de todas as áreas da empresa, exceto pesquisa e gestão de portfólio. Antes de sua nomeação em 2019, ela serviu como presidente da organização por quase três décadas. Mellody, que ocupa a 12ª posição entre as mulheres mais poderosas em finanças, estava entre as cotadas para servir como secretária do Tesouro do presidente eleito dos EUA, Joe Biden, posição que será ocupada pela ex-presidente do Federal Reserve, Janet Yellen.

Estas são as mulheres mais poderosas nas finanças, junto com suas respectivas posições na lista das 100 mulheres mais poderosas do mundo:

Nº 8: Ana Patricia Botín, presidente-executiva do Banco Santander

Nº 9: Abigail Johnson, presidente e CEO da Fidelity Investments

Nº 21: Jessica Tan, coCEO, COO e diretora-executiva do Ping An Group

Nº 23: Jane Fraser, presidente e CEO de Global Consumer Banking do Citigroup

Nº 30: Ho Ching, diretora-executiva e CEO do Temasek

Nº 33: Adena Friedman, presidente e CEO da Nasdaq

Nº 35: Stacey Cunningham, presidente da NYSE

Nº 36: Anne Finucane, vice-presidente do Bank of America

Nº 40: Mary Callahan Erdoes, CEO do JPMorgan Asset & Wealth Management

Nº 43: Marianne Lake, CEO do JPMorgan Consumer Lending

Nº 91: Dominique Senequier, fundadora e presidente da Ardian

Nº 94: Mellody Hobson, coCEO do Ariel Investments

Nº 99: Rania Nashar, CEO do Samba Financial Group

Veja a lista completa: As mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • Reprodução/Forbes

    1. Ana Patricia Botín

    País: Espanha
    Idade: 60
    Cargo: presidente-executiva do Banco Santander
    Nº 8 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • Reprodução/Forbes

    2. Abigail Johnson

    País: Estados Unidos
    Idade: 58
    Cargo: presidente e CEO da Fidelity Investments
    Nº 9 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • South China Morning Post/GettyImages

    3. Jessica Tan

    País: China
    Idade: 43
    Cargo:coCEO, COO e diretora executiva do Ping An Group
    Nº 21 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • Reuters

    4. Jane Fraser

    País: Estados Unidos
    Idade: 53
    Cargo: presidente e CEO de Global Consumer Banking do Citigroup
    Nº 23 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • Suhaimi Abdullah/GettyImages

    5. Ho Ching

    País: Singapura
    Idade: 67
    Cargo: diretora-executiva e CEO do Temasek
    Nº 30 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • John Lamparski/GettyImages

    6. Adena Friedman

    País: Estados Unidos
    Idade: 51
    Cargo: presidente e CEO da Nasdaq
    Nº 33 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • Roy Rochlin/GettyImages

    7. Stacey Cunningham

    País: Estados Unidos
    Idade: 46
    Cargo: presidente da NYSE
    Nº 35 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • Reprodução/Forbes

    8. Anne Finucane

    País: Estados Unidos
    Idade: 68
    Cargo: vice-presidente do Bank of America
    Nº 36 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • CNBC/GettyImages

    9. Mary Callahan Erdoes

    País: Estados Unidos
    Idade: 53
    Cargo: CEO do JPMorgan Wealth & Asset Management
    Nº 40 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • Mint/GettyImages

    10. Marianne Lake

    País: Reino Unido
    Idade: 51
    Cargo: CEO do JPMorgan Consumer Lending
    Nº 43 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • Reprodução/Forbes

    11. Dominique Senequier

    País: França
    Idade: 67
    Cargo: fundadora e presidente da Ardian
    Nº 91 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • Reprodução

    12. Mellody Hobson

    País: Estados Unidos
    Idade: 51
    Cargo: coCEO do Ariel Investments
    Nº 94 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

  • Reprodução/Forbes

    13. Rania Nashar

    País: Árabia Saudita
    Idade: Não declarada
    Cargo: CEO do Samba Financial Group
    Nº 99 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

Reprodução/Forbes

1. Ana Patricia Botín

País: Espanha
Idade: 60
Cargo: presidente-executiva do Banco Santander
Nº 8 na lista de Mulheres mais poderosas do mundo em 2020

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: