Maia critica adiamento da PEC emergencial e diz que país entrará em abismo fiscal

O presidente da Câmara dos Deputados aproveitou para a afirmar que a PEC da reforma tributária está pronta, mas não vai a voto.

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Adriano Machado
REUTERS/Adriano Machado

O presidente da Câmara dos Deputados aproveitou para a afirmar que a PEC da reforma tributária está pronta, mas não vai a voto

Acessibilidade


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou hoje (11), ao criticar a desistência de discussão da PEC Emergencial neste ano no Senado, que o país está diante de um “abismo fiscal”.

O relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, senador Marcio Bittar (MDB-AC), anunciou em nota nesta sexta o adiamento da apresentação do relatório da medida para o ano que vem, alegando a complexidade do tema e a atual conjuntura do país, sem entrar em detalhes.

Em Fórum Empresarial organizado pelo Lide, onde foi homenageado, Maia afirmou que “até o que e emergencial não é votado no Brasil”, e acusou o governo de fazer um “cambalacho” com a PEC, creditando a atitude a uma tentativa de prejudicá-lo.

Maia aproveitou para a afirmar que a PEC da reforma tributária está pronta, mas não vai a voto, acredita, porque o governo não quer que sua aprovação seja computada como uma vitória do presidente da Câmara.

O deputado sinalizou, mais uma vez, disposição em votar projeto de lei encaminhado pelo governo que unifica PIS e Cofins. Por se tratar de lei, avalia, poderia ter chances de ser aprovado, já que não necessita de quórum especial. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: