CEO da Marriott morre aos 62 anos vítima de câncer de pâncreas

Arne Sorenson foi responsável por liderar a aquisição da Starwood Hotels & Resorts por US$ 13 bilhões.

Gina Heeb
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Após o diagnóstico de Arne Sorenson, a empresa nomeou dois novos executivos para liderar as operações da Marriott

Acessibilidade


O CEO da Marriott International, Arne Sorenson, que liderou a aquisição da Starwood Hotels & Resorts por US$ 13 bilhões e transformou a empresa na maior rede hoteleira do mundo, morreu aos 62 anos, a empresa anunciou hoje (16).

Em 2019, Sorenson foi diagnosticado com câncer de pâncreas e, no mês passado, tirou uma licença da função para tratar a doença.

VEJA TAMBÉM: Marriott reporta prejuízo acima do esperado com pandemia atingindo reservas

Ele foi o primeiro membro fora da família fundadora responsável por liderar o Marriott International.

Em 2016, Sorenson liderou um acordo para adquirir a Starwood, reunindo as marcas da Marriott a Sheraton, Westin e St. Regis.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Ele tinha uma habilidade incrível de prever para onde a indústria da hospitalidade estava indo e direcionar a Marriott para o crescimento”, disse J.W. Marriott Jr., presidente-executivo da empresa em um comunicado.

A Marriott disse que planeja nomear um novo CEO nas próximas duas semanas.

A empresa destacou dois profissionais para supervisionar a operação quando Sorenson se afastou: Stephanie Linnartz, de operações de consumo, tecnologia e negócios emergentes, e Tony Capuano, responsável pelo desenvolvimento global, design e serviços operacionais. A Marriott disse que Stephanie e Capuano continuarão na posição até que o conselho nomeie um novo CEO.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: