CEO da Blackstone ganha US$ 5 bilhões em 7 semanas em meio a acordos e aquisições

Roy Rochelin/GettyImages
Roy Rochelin/GettyImages

Negociações impulsionaram o preço das ações da companhia na NYSE e, consequentemente, o patrimônio de Stephen Schwarzman

A fortuna do CEO da Blackstone, Stephen Schwarzman, atingiu o recorde de US$ 26,8 bilhões nesta semana, com o aumento no preço das ações da sua firma de private equity.Schwarzman ocupou o 79º lugar na lista de Bilionários da Forbes de 2021 em março, com US$ 21,9 bilhões, mas sua fortuna aumentou US$ 4,9 bilhões desde então, alimentada por uma enxurrada de negociações globais que inclui planos para adquirir um portfólio imobiliário de US$ 720 milhões na Índia.

Um representante de Schwarzman se recusou a comentar sobre o acordo e encaminhou à Forbes o mais recente balanço da empresa para explicar o preço recorde das ações.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A Blackstone registrou lucro recorde de US$ 1,75 bilhão no primeiro trimestre, graças a investimentos em empresas como o Bumble e o Ancestry.com, comprada por US$ 4,7 bilhões. O capital alocado em private equity da Blackstone valorizou quase três vezes a taxa do S&P 500 no trimestre mais recente, de acordo com o The Wall Street Journal. Schwarzman possui cerca de 20% da empresa, o que representa três quartos de seu patrimônio líquido total.

A Blackstone também detém uma das maiores carteiras de imóveis do mundo, com US$ 196 bilhões em capital sob gestão. Suas participações globais incluem o Sandcrawler: um prédio de escritórios de 173 mil pés, o equivalente a pouco mais de 16 mil metros quadrados, localizado em Cingapura e adquirido recentemente pela empresa por US$ 132 milhões. Além de uma série de hotéis no Japão e a maior coleção de propriedades para aluguel da cidade de Nova York.

A recente onda de aquisições da empresa incluiu ainda uma oferta de US$ 1,1 bilhão para compra de 26% da empresa de terceirização com sede na Índia, Mphasis, e uma proposta, feita no mês passado, próxima de US$ 6 bilhões pela Crown Resorts, empresa de jogos e cassinos com sede na Austrália. No mês passado, a Blackstone também fez parceria com a Starwood Capital para comprar a Extended Stay America por US$ 6 bilhões e na última semana anunciou planos para abrir um escritório em Tel Aviv, com o objetivo de explorar ainda mais o florescente setor de tecnologia de Israel.

Schwarzman, 74 anos, é filho do dono de um armazém e começou seu primeiro negócio, uma empresa de cortar grama, aos 14 anos. Ele depois se formou em Yale e na Harvard Business School. Em 1985, fez uma parceria com Peter Peterson (falecido em 2018) para lançar a Blackstone.

Originalmente uma consultoria de fusões e aquisições, a Blackstone cresceu e se tornou uma enorme empresa de aquisições que abriu capital na Bolsa de Valores de Nova York em 2007. O patrimônio líquido de Schwarzman, por sua vez, disparou de US$ 3,5 bilhões em 2007 para a posição atual.

Signatário da fundação voltada à filantropia Giving Pledge, Schwarzman já está distribuindo parte dessa fortuna para instituições de caridade. Ele prometeu quase US$ 200 milhões para Oxford e US$ 350 milhões para o MIT, além de centenas de milhões para lançar o programa Schwarzman Scholars, uma parceria com a Universidade de Tsinghua na China, inspirada na Bolsa de Estudos Rhodes.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).