FMI afirma que países ricos podem usar impostos para redução de desigualdades

Em relatório, o Fundo Monetário Internacional afirmou que a pandemia ressaltou as diferenças de acesso a saúde e educação no mundo .

Redação
Compartilhe esta publicação:
Yuri Gripas/Reuters
Yuri Gripas/Reuters

A maioria dos países precisaria de receitas adicionais para garantir o acesso às vacinas contra a Covid-19, disse o relatório

Acessibilidade


O FMI (Fundo Monetário Internacional) disse hoje (1) que as economias avançadas podem usar os impostos progressivos sobre renda, herança e lucros corporativos “excedentes” para ajudar a reduzir as desigualdades expostas pela pandemia de Covid-19.

O Monitor Fiscal do FMI disse que a pandemia exacerbou as desigualdades pré-existentes no acesso à saúde, educação e infraestrutura digital, o que poderia causar diferenças de renda que durariam por várias gerações.

LEIA MAIS: Pandemia de coronavírus reduzirá 3% da produção global em médio prazo, diz FMI

A maioria dos países precisaria de receitas adicionais para garantir o acesso às vacinas contra a Covid-19 e melhorar seus serviços, interrompendo um “ciclo vicioso” de desigualdades que se reforçam mutuamente, disse o relatório.

Para mudar o cenário, os países deveriam se concentrar em melhores investimentos em educação, saúde, desenvolvimento da primeira infância e fortalecimento das redes de segurança social, afirmou a instituição.(Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: