Lançamentos da MRV crescem 58% no 1º trimestre, a R$ 1,7 bilhão

Ilkercelik/Getty Images
Ilkercelik/Getty Images

As vendas da MRV no trimestre, porém, caíram 3,2% na comparação com mesmo período do ano passado

A MRV anunciou hoje (15) que teve R$ 1,7 bilhão em lançamentos no primeiro trimestre, o maior resultado da história da construtora para o período de janeiro a março e alta de 58% ante mesma etapa de 2020.

“A demanda continua forte”, disse o copresidente da MRV Rafael Menin explicando que o início de um ciclo de alta de juros pelo Banco Central, no mês passado, e o aumento dos insumos para a construção civil ainda não impactaram o setor.

LEIA MAIS: MRV tem lucro líquido de R$ 196 milhões no 4º tri

As vendas da MRV no trimestre, porém, caíram 3,2% na comparação com mesmo período do ano passado, para R$ 1,62 bilhão, movimento atribuído pela companhia aos maiores intervalos em alguns repasses de recursos pela Caixa Econômica Federal.

Além disso, disse Menin, a MRV deu sequência à campanha de ter uma maior parcela dos imóveis negociados pelo modelo de venda garantida, isto é, quando são contabilizada só após o repasse do cliente ao banco financiador, o que elimina chances de inadimplência.

De janeiro a março, os imóveis da MRV negociados sob esse modelo representaram 65% do total, ante 42% no quarto trimestre e 30% no terceiro.

“Até o terceiro trimestre deste ano, devemos ter cerca de 100% das vendas nesse esquema”, disse Menin.

Segundo o executivo, as margens da companhia, que já foram pressionadas no final do ano passado devido ao forte aumento de preços de insumos para a construção civil, devem seguir afetadas nesta primeira metade de 2021, uma vez que a MRV tem conseguido repassar apenas parte desses ajustes.

Em relação aos juros, Menin disse que a alta da Selic em março, de 2% para 2,75% e a promessa de alta da mesma magnitude na próxima reunião do Copom, não teve impacto na procura por financiamento imobiliário.

VEJA TAMBÉM: MRV lança marca para atender à classe média

“As taxas de financiamento estão ao redor de 7%, o que é um spread ainda alto”, disse ele. “Então, acredito que isso não vai ser um problema até que a Selic esteja por volta de 5% ao ano.”

O executivo disse ainda que a unidade da MRV nos Estados Unidos, AHS, deve reportar nos próximos dois a três trimestres o equivalente a US$ 290 milhões referentes a vendas feitas e que serão ainda contabilizadas. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).