Lucro da Exxon supera previsões com alta do petróleo e força de produtos químicos

A petroleira norte-americana teve seu primeiro ganho líquido em cinco trimestres, excedendo as expectativas de Wall Street.

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


A Exxon Mobil Corp superou as estimativas de ganhos trimestrais de Wall Street ao divulgar hoje (30) seu primeiro lucro em cinco trimestres, impulsionado pelos preços mais altos do petróleo e fortes margens em produtos químicos.

Os resultados da Exxon e de petroleiras rivais neste ano têm aumentado com os preços do petróleo, à medida que o excedente global de óleo decorrente da pandemia é drenado e a demanda de combustíveis se recupera.

LEIA MAIS: Petrobras reduz diesel e gasolina em 2% no 1° reajuste da gestão Silva e Luna

A virada para o lucro na Exxon ocorre enquanto os rivais europeus também divulgam resultados que ultrapassam os níveis anteriores à pandemia.

A brasileira Petrobras também deve voltar ao lucro — a empresa divulga o resultado em 13 de maio.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os resultados trimestrais mostram que os profundos cortes de custos da Exxon permitiram que ela superasse as perdas anuais históricas do ano passado e gerasse uma forte fluxo de caixa para reduzir a dívida.

O lucro líquido no primeiro trimestre foi de US$ 2,73 bilhões, ou US$ 0,64 por ação, em comparação com uma perda de US$ 610 milhões um ano antes, ou US$ 0,14 por ação.

O lucro ajustado de US$ 0,65 por ação superou as expectativas dos analistas de US$ 0,59, de acordo com dados do Refinitiv IBES.

“Os fortes resultados do primeiro trimestre refletem os benefícios dos preços mais altos das commodities e nosso foco na redução estrutural de custos”, disse o CEO Darren Woods em um comunicado. Os ganhos com produtos químicos foram o maior fator nos resultados do primeiro trimestre, com um lucro quase 10 vezes superior ao nível do ano anterior e o mais forte em pelo menos cinco anos. Esse negócio tem crescido com os preços altos e a demanda por plásticos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: