Petrobras reduz diesel e gasolina em 2% no 1° reajuste da gestão Silva e Luna

Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Preço do litro do diesel e da gasolina cairão cerca de 5 centavos a partir de amanhã (1)

A Petrobras reduzirá preços do diesel e gasolina nas refinarias em cerca de 2% a partir de amanhã (1), informou a companhia hoje (30), no que marca o primeiro reajuste desde a posse do novo presidente da empresa, o general Joaquim Silva e Luna.

Os preços médios do diesel para distribuidoras cairão 6 centavos por litro, para R$ 2,71, enquanto a gasolina terá recuo de 5 centavos por litro, para R$ 2,59, detalhou a empresa.

LEIA MAIS: Petrobras recebe pedido de acionistas por assembleia sobre conselho

Mais cedo, a Reuters havia publicado que a estatal reduziria os preços em cerca de 5 centavos por litro, conforme informações da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom) e a consultoria e corretora StoneX do dia de hoje (30)

Em termos percentuais, o diesel recuará cerca de 2,17%, enquanto a gasolina terá redução de quase 2%, segundo cálculos da Reuters com informações da Petrobras.

O reajuste vem já sob a gestão de Luna, que tomou posse em 19 de abril, depois de confirmação pelo conselho de administração. Ele foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para o cargo após descontentamentos com a política de preços de combustíveis da administração anterior, comandada por Roberto Castello Branco.

O movimento dos preços foi na direção contrária do previsto pela corretora Ativa Investimentos, que disse mais cedo hoje (30) que seu modelo indicava potencial alta da gasolina.

“Mesmo após a recente apreciação do real frente ao dólar, o melhor modelo de acompanhamento da defasagem no preço da gasolina da corretora Ativa Investimentos apresentou potencial elevação de 13%, motivado pela alta nos preços do petróleo internacional”, afirmou.

Questionada sobre as projeções da Ativa, a Petrobras não fez comentários específicos, mas disse que seus preços “buscam equilíbrio com o mercado internacional e acompanham as variações do valor dos produtos e da taxa de câmbio”. A empresa também destacou que os reajustes não têm periodicidade definida.

Ao assumir a presidência da Petrobras, Luna disse que buscará reduzir a volatilidade dos preços de combustíveis sem “desrespeitar” a paridade de importação, em discurso que agradou investidores e fez as ações da companhia subirem no dia.

O último reajuste da Petrobras havia sido anunciado em 15 de abril, no último dia da gestão de Roberto Castello Branco à frente da empresa. Na ocasião, os preços do diesel foram elevados em 3,8%, enquanto a gasolina subiu 1,9%. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).